Lisboa - O veterano jornalista Alvés António  mostra-se renitente com uma proposta que lhe foi avançada para render Celso Amaral Jorge do cargo de director  da emissora   provincial da  Huila afecta ao grupo RNA.

 

Fonte: Club-k.net

Prefere  a vida de repórter presidencial

A renitência de Alvés António, é associada a invocações  reflectidas numa suposta   “falta de condições”. Esteve a duas semanas na província da Huila  tendo se inteirado com procedimentos daquela emissora.  Figuras ao seu redor que encaram a sua proposta,  como “exílio dourado”, mostram-se compreensíveis  com  a “resistência” que faz da proposta para dirigir a RNA-Huila. Alegam que ao contrario de se mudar para o interior do país, o jornalista sênior   prefere a  “vida  de estar a viajar”  nas caravanas presidências fazendo  coberturas jornalísticas (As  ajudas de custos  destas viagens são vistas por ele como um incentivo)

 

Para além de Alvés António já foi   também visto como alternativa para aquela estação de radio,   o jornalista Joaquim Gonçalves que dirige a RNA- Namibe.  Era visto como a pessoa certa por dominar o dossiê visto que  é  oriundo da Huila ao contrario de Alvés António  que é  natural do Namibe.  Joaquim Gonçalves   tem passagem pela Radio DW da Alemanha. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: