Figuras do “movimento hip hop” com quem o músico priva revelaram, ao Club-k.net que muito recentemente o rapper manteve contacto com um membro do Movimento dos Estudantes universitários (MEA) Walter Ferreira cujo tema encalhou na gestão da participação de Mck na campanha eleitoral, em favor da FpD.

Embora se assuma publicamente  apartidário, são  verificadas em Mck partilha da mesma causa defendida por lideres da FpD. As averiguações são extensivas a rappers que nele se inspiram. Em Cabinda, o conhecido  Mc Dogmilson uma espécie de “Mck da província” expressou apoio ao líder da FpD Filomeno Viera Lopes na luta pela autonomia  que o seu  partido defende para o enclave. Brigadeiro 10 pacotes, um rapper ligado a Mck, foi o responsável em Malanje pela adesão dos eleitores a subscrição da lista de candidatura as presentes eleições do referido partido. Informações comprovadas dão conta que o próprio Mck mantem “ excelentes relações” com dirigentes de alto nível da FpD.

Mck é estudante de filosofia pela Universidade Agostinho Neto em Luanda. Notabilizou-se pelo caracter critico das suas canções. Em 2004, um jovem Cherokee, foi morto por tropas afectos a Guarda Presidencial por ter cantado a musica “Técnica, causas e conseqüências” de sua autoria.

Ultimamente tem cantado fora de Angola em paises como Portugal, África do Sul mas foi no Brasil onde foi recebido pelo Ministro da Cultura Gilberto Gil. A convite de instituições brasileiras participou em espectáculos de enorme envergadura. O seu talento despertou  figuras publicas daquele pais  como é o caso do autor Lazaro Ramos “Foguinho” (na foto) que ao ir a Angola pediu que o levassem a um dos subúrbios para se encontrar com o rapper angolano.

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: