Que política é essa do MPLA?

Nessas viagens que faço pregando aqui e alí. Encontro-me com pessoas que perguntam: Conhece fulano e sicrano? São Angolanos? Essa propriedade aqui pertence à ele. Essa mansão também é dele. Olha dizem que é um homem importante em Angola! Já imaginou a minha reacção em face desse ato? Baixo a cabeça e finjo que não escutei. Penso comigo. O povo angolano em geral deveria vir ver com os próprios olhos o que os homens do governo fazem com o dinheiro público. Enquanto que estão comprando e tomando posses de coisas grandes no exterior em Angola constroem chafarizes e dão carrinho de mãos pra os meninos lavarem os carros na rua.

Ó Angola injusta, como pode! Até quando vamos suportar isso? Esses homens gastam nossos bens, financiam os estudos para seus filhos e vivem como se ninguém sabe de nada. O que vemos é que muitos dos filhos deles não estão nem ai pelos estudos. Outros foram expulsos das Faculdades e uns nem conseguem sair do 1º ano da Faculdade. Enquanto que os pobres já estão na segunda Faculdade.

Estamos diante de ares que limitam nossa visão, estamos diante de ares complicados que nos poluem. Ares que estão muito tempo no comando da economia. Estamos diante de ares horríveis e é duro suportar, somos pessoas doentes não temos liberdade para nada, estamos desesperados com a situação de vida que vivemos. Precisamos mudar tudo em favor de novos ares. Para isso esta chegando o dia de escolher nossos líderes e representantes para a assembleia legislativa.

Tudo que necessitamos é de novos ares. Um governo mais transparente um governo mais sincero não muito individualista. Desse tipo já estamos cansados e queremos distância e se de fato isso acontecer mudaremos de ares antigos para ares novos.

Acompanhando as campanhas eleitorais, observo que os partidos prometem uma série de providência para conquistar o eleitor. Muitos tiveram oportunidade de fazer e não fizeram, outros não fizeram nada e falam como se tivessem feito. Outros estão mais interessados em atrair os analfabetos. Os ares antigos não servem pra nada mais. Estão cansados, nos trazem doenças, estão poluídos de corrupção. Engordaram demais estão inchados e não conseguem pensar nos pequenos. Se quisermos ares puros devemos abrir os olhos em quem vamos eleger no dia 05 de Setembro.

Há quatros anos já ouvimos falar da construção do novo aeroporto, reabilitação do novo porto de Luanda que esta sempre congestionada, a re-urbanização da praia da marginal de construção de estradas cortando a cidade e a Ilha de Luanda, da despoluição de nossas praias, instalação de telefone público que funciona com o famoso cartão taco. Parece até que existe somente três ou quatros telefones com atendimento ao público contando com o que esta instalada em frente a Rádio Nacional, a promessa da construção do maior prédio na região Sul da África e tantas outras promessas e nada foi feito. O Governo gastou mais tempo enchendo seus bolsos individuais enviando seus filhos ao exterior pra esbanjar dinheiro público. Enquanto que, as doenças continuam nas cidades, mortes infantis etc. É triste e lamentável cada vez que vou a Angola de férias, sempre notícias de mortes pergunto. É esse o governo que queremos que continue no poder?

O momento é de cautela, devemos anotar cada promessa desses lideres e partidos para cobrar no futuro caso o partido seja eleito em sua maioria. Vez que nem sempre as promessas em campanhas são cumpridas. O correcto seria criarmos possibilidade de punir o candidato que faz campanha com base em promessas impossíveis de serem cumpridas ou se utilizando de propaganda enganosa Mil casas se constrói em quatros anos? Os brasileiros riem de nós. Que política é essa do MPLA? Pessoal! Observem que as campanhas estão sendo marcadas por uma personalidade fora do comum e as propostas estão em segundo plano. Não queremos continuar respirando isso. Precisamos aprimorar nossa Angola e o caminho mais curto é o da mudança, mudar de caras, de pessoas de filosofias de sistema e de governo. Devemos eleger um governo transparente.

O angolano se tornará livre quando conhecer seus direitos, quando está bem informado. Um cidadão consciente não vota apenas na "oba-oba" dos partidos, nem na melhor propaganda eleitoral, tão poucos em líderes corruptos. Um cidadão consciente é aquele que para além de optar em candidato com perfil mais adequado para melhorar a qualidade de vida de todo o País. Deve optar pelo bem de todos Angolanos.

Não devemos credenciar para nos representar, pessoas que sem lastro dormiram pobres e amanheceram ricas à custa do dinheiro público. Por outro lado não se deve vincular o voto pela amizade ou simpatia do candidato, pelas relações políticas, familiares, religiosas ou partidárias, mas pela sua importância no combate á corrupção e a ditadura.

Ao votar escolhemos o destino que queremos para nossa Angola, ao votar é a garantia que podemos mudar alternar ou acreditar. Afinal, o dinheiro público bem aplicado pode salvar e melhorar nossas vidas. Em fim um voto consciente é a vacina contra toda essa corrupção no nosso País, por isso que afirmo que devemos votar para respirar outros ares.

 * Feliciano Filho / Pós-graduado em Teologia / Graduando em Direito / Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: