“A UNITA e seus amigos e aliados têm grandes responsabilidades na destruição da imagem de Angola no exterior. Não pode agora vir dizer que os eleitores têm de votar no Galo Negro se querem que a imagem do país melhore”, afirma o preclaro director do JA, numa inequívoca prova de isenção e rigor jornalístico da velha escola soviética.

Será que estando Angola nos mais elevados índices de desenvolvimento social e humano, nos mais altos patamares do respeito pelos direitos humanos, nos mais nobres pódios das democracias desenvolvidas, sendo um exemplo da luta contra a corrupção (coisa que Luanda nem sabe o que é), haverá alguém capaz de destruir a imagem imaculada do MPLA?

Claro que não. José Ribeiro pode estar descansado. A UNITA nada pode fazer contra a imagem de um país tão eficientemente governado nos últimos 33 anos pelo mesmo partido. Aliás, quando Isaías Samakuva diz que 68% dos angolanos vivem na pobreza, ninguém acredita. Não é?

Quando José Ribeiro diz que só o MPLA faz “chegar ao público um programa político com cabeça, tronco e membros”, acrescentando que o MPLA “abriu o país ao regime democrático e à economia de mercado, dá estabilidade à governação e organizou eleições de maneira exemplar, mostra deter uma visão sólida de Estado que não encontra paralelo”, está de facto a dar uma grande ajuda aos que querem a mudança.

Por isso, eu que acredito que chegou a hora da mudança, só tenho que agradecer ao José Ribeiro e pedir-lhe que continue a dizer o que tem dito. Cada vez que escreve aumentam os votos na UNITA.

Fonte: http://altohama.blogspot.com/



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: