Lisboa -  É nas vestes de Secretária para os Assuntos Sociais da  Presidência  da República que se tem midiatizado, porém foi e é nas bases do  Rangel que tem a sua marca  como a pessoa  que coordenou a OMA no bairro da Terra-Nova, desde a data da Independência de Angola até ao ano de 1982.  


Fonte: Club-k.net


Na sua faceta  partidária destaca-se a  preparação militar que teve na década de noventa que a levou a ser enquadrada no  extinto órgão de defesa popular dos bairros. Logo a seguir seria vista na sede nacional do MPLA a chefiar a  secção do DECD do Comitê Central, o órgão  do partido a que ascendeu ao congresso de 2009, na qualidade de membro do Comitê de Especialidade dos  Ecológicos e Ambientalistas. No aniversario dos 50º  anos do MPLA, fez também parte do grupo de destacados  militantes que foi  outogado a medalha em alusão a data.

 

De entre os sete  Secretários da Presidência angolana, Rosa Pacavira  destaca-se mesmo como uma das poucas que tem o grau acadêmico  de  doutoramento. É formada em engenharia  pela  Universidade  Agostinho Neto, instituição de que é também parte dos quadros docentes.  A seis anos atrás  esteve em Portugal e defendeu a tese de doutoramento em engenharia  Agronómica pelo  Instituto Superior de Agronomia (UTL) da  Universidade Técnica de Lisboa.  A sua tese teve como orientador António Barbosa tendo como tema  o: “efeito insecticida de thephrosia Vogelii Hook.  no controlo de Sitophilus Zeamais Motschulsky (coleoptera: curculionidae): Uma contribuição para o desenvolvimento rural sustentável em Angola.”

 

É no seu lado de  docente que mais tempo acumulou  enquanto funcionaria da função publica. Começou da base. Ou  seja,  desde a abertura do multipartidarismo em Angola, Rosa Pacavira começou a estrear-se como   professora do ensino secundaria e ensino médio até em 1995 ter cessado para dar lugar/prioridade  ao  circulo do ensino superior.   Foi neste meio que privou  com técnicos da sua marca como Domingos da Silva Neto, Maria Cândida Pereira Teixeira e Orlando da Mata, hoje reitor da UAN.

 

Até a data da sua nomeação como integrante do gabinete presidencial, Rosa Pacavira de Matos, estava colocada como consultora do Vice-Ministro da Ciência e Tecnologia. Foi nesta qualidade de consultora que apareceu como parte da  organização da primeira  conferencia nacional da ciência e tecnologia em finais de Outubro de 2009.  Foi durante sete anos  a consultora da FAO para a segurança Alimentar. Esteve em São Tome a trabalhar como consultora e  em 2005 encabeçou o grupo que desenvolveu o Estudo de Segurança alimentar em Angola. Daí que afirma-se mais como tecnocrata do que política.


Nas vestes de  Secretária para os Assuntos Sociais da  Presidência  da República tem percorrido pelo interior do país fazendo trabalhos de auscultação o que faz dela os “olhos e ouvidos de aluguer” de JES, por onde passa.

 

Uma sua irmã, Antónia Pacavira, que é jurista de formação notabilizou-se na década de 80/90 como um dos principais rostos da TPA de que faz agora parte do  conselho de administração daquela empresa pública. O reconhecimento a Antónia  é atribuído a Carolina Cerqueira com quem aprofundou a amizade ao tempo que concluíram as respectivas licenciaturas em direito.  A  mãe de Rosa Pacavira  é irmã de Madalena Escórcio, figura que também influenciou JES ao tempo de aluno do Liceu Salvador Correia. A malograda   Madalena Escórcio foi  esposa de Avelino dos Santos, notabilizada figura  no bairro Rangel onde Rosa Pacavira cresceu e viveu até pouco tempo na rua da Gaia.  É por estas ligações que  a mesma é vista em fóruns familiares de JES. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: