Exteriorizou esta opinião na extensa entrevista, que a Rádio Nacional de Angola (RNA) difundiu hoje, dedicada à conjuntura política que vive o pais, dominado pelo processo eleitoral.

O Cardeal aprecia o «boom» e atribui-o, antes de mais, à Graça Divina, que abençoou Angola com o recurso do petróleo, em alta no mercado internacional.

«Agradeço muito, como religioso, como sacerdote, a Divina Providencia primeiro por nos ter dado petróleo e o preço cresce muito. É bom para nós», observou o prelado, convidado a comentar a constelação das expressivas obras, em curso um pouco por todo o país.

Quer dizer, continuou a opinar, «encontramo-nos numa situação reconfortada e isto ajuda muito os nossos políticos, os nossos governantes.»

«Eu gostaria que (os nossos governantes) aplicassem os dinheiros da melhor maneira e depois, da juventude, naturalmente, temos que olhar, também, para a maneira de reproduzir a riqueza e distribuí-la», completou Sua Eminência.

Indicou que está «muito contente» do que está a ver e aconselha o apoio entusiasta de todos os compatriotas aos que estão em frente.

«A Divina Providência está a abençoar-nos. Devemos corresponder também», disse ainda o Cardeal, avisando, em remate, que «estamos a crescer, temos que crescer ainda mais.»

Fonte: Apostolado



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: