O Novo Jornal escreve na sua notícia de capa «Política. A luta pela sobrevivência». Faltam 14 dia para as legislativas de 2008. Diz o Novo Jornal que nos últimos 15 anos o governo gastou mais de 547.756.740 milhões de dólares no financiamento aos partidos políticos com assento no parlamento. O montante foi atribuído mediante o número de votos alcançados em 1992, correspondendo cada voto a dez dólares. A maior fatia do bolo vai para o MPLA e a UNITA.

Fernando Pacheco afirma em entrevista que « Em Angola não há confronto de ideias».
«Presidente da República na Lunda-Sul» para inaugurar central hidroeléctrica.
«Observadores nacionais reclamam». A plataforma nacional da sociedade civil angolana reclama do atraso na acreditação dos observadores locais.

«Banco Chinês, o mais rentável» o Banco Industrial e Comercial da China tornou-se no banco mais rentável do mundo, depois de registar um lucro recorde no primeiro semestre deste ano.

No 1.º caderno o Novo Jornal traz em «Memória: O legado de Mário Pinto de Andrade», em Economia «Desemprego: Um bico-de-obra sem solução mágica» e Mutamba «João Melo: A versatilidade de um homem das letras».

No Semanário Angolense em destaque a província do Huambo onde se diz ocorrer «O "milagre" do renascimento». O Presidente da República, osé Eduardo dos Santos, vai segunda-feira àquela província para tomar contacto com os empreendimentos que mudam a realidade local.

Jorge Valentim «Uma referência na UNITA». Com eles rompemos definitivamente, porque eles não conhecem, nem representam a verdadeira causa da UNITA e estão a levar o partido para o completo descalabro.

MPLA ignorou-o completamente «Carlos Contreiras pretendeu vender-se por um milhão de dólares».

Angolanos «Huila veste-se para as eleições».

O Cruzeiro do Sul destaca: «Deputados expulsos da UNITA apelam voto no MPLA e JES, Jorge Valentim dá golpe de misericórdia aos maninhos».

Camaradas pintam o pais «MPLA 4x4 na caça ao voto».

Em vésperas de eleições «Kabango quer reposição da história».

Já no Agora «SADC: Governo diz NIN».
Em hora de balanço: «Prestação nos jogos olímpicos».
E «Jorge Valentim no Lobito».

O Angolense escreve em manchete: Jogos de interesses «Danças das cadeiras na politica angolana. Os Mutantes.»

Ilustrado com fotos de Jorge Valentim, Carlos Contreiras, Marta Cristina e Adriano Parreira.

Apelo à tolerância politica «Kundi Paihama, confiante na vitória».

«Colégios enganam encarregados de educação». Escreve o Angolense que um braço de ferro foi levantado entre direcções de escolas privadas e seus clientes. As escolas exigem que os encarregados de educação paguem a mensalidade do período de pausa.

«UNITA trabalha pelo eleitorado no Bié», os maninhos, diz o jornal, querem manter a invencibilidade na província onde em tempos funcionou o seu bastião.

A Capital diz que as aparições públicas sugerem que JES não fica na bancada, mas sim está «Em campo com a camisola 10».

Na visão de Vicente Pinto de Andrade, em Angola a «Política está a ficar pobre».

Os negócios vão a bom ritmo. «Família Amões dá a volta por cima».

Jogador número 11 faz potente remate. «UNITA ataca no fim do mundo».

Para ataque ao Palanca «MPLA escolhe solução Bento Cangamba».

E no Folha 8 «AJPD denuncia batota eleitoral e fraude antecipadas».

«Podridão da CNE e média estatal viciam eleições».

Mais uma injustiça «Tribunal coloca mais uma família ao relento e protege falsário».
Carlos Contreiras um «Político acusado de prostituição financeira».

Fonte: VOA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: