Lisboa - De entre as vítimas da queda do avião, na manha desta terça-feira (14) na província do Huambo, está,  o Tte-General  Elias Malungo Bravo da Costa Pedro "Kalias", antigo director do Gabinete de Jonas Savimbi e que no quadro da integração militar, estava até  a dada da sua morte, como    Chefe da Direcção de Comunicação e Imagem do Estado-Maior General das FAA. Outro correligionário  seu,  também identifico entre as vitimas do acidente, é o Brigadeiro “Veneno” Katata. 


Fonte: Club-k.net

Faleceu general “Kalias” Pedro

A atenção que se presta  ao general  “Kalias” Pedro é atribuída ao seu papel historico de ter sido uma das figuras  que melhor conhecia os segredos do antigo líder guerrilheiro da UNITA. Na década de oitenta  foi  considerado como  um brilhante estudante  no Instituto Polivalente Lote Malheiro Savimbi. Enquanto um irmão seu,  foi despachado para Estudar em  Portugal,  o general “Kalias” Pedro, foi convidado  para trabalhar no gabinete do alto comandante das FALA e Presidente da UNITA, em 1987. Passou a operar como a “sombra” de Jonas Savimbi e esteve presente em todas as viagens “de Estado”  que o líder rebelde efectuou aos Estados Unidos, e a Europa.

 

Em 1992, esteve em Luanda  e concorreu nas primeiras eleições gerais como  o numero 16 da lista dos candidatos a deputados a bancada parlamentar da UNITA. No dia da votação esteve ao lado de Savimbi tal como no dia da “secreta” fuga que levou o ex-líder rebelde a abandonar Luanda rumo ao Huambo. No Bailundo, notabilizou-se como o director do Gabinete presidencial.


Em  2002, permaneceu ao lado de Jonas Savimbi, nas matas do Moxico e encontrava-se gravemente debilitado. Foi capturado pelas FAA,  a  17 de Fevereiro, nas áreas do rio Luzy,  no seguimento  de tiroteios que a coluna de Jonas Savimbi sofreu precipitando a dispersão dos seus integrantes. A sua captura foi celebrada pelas autoridades angolanas como um troféu de grande valor. 


Com o fim da guerra desligou-se por completo das actividades políticas passando a estar “full-time”, nas Forças Armadas Angolanas. Estava casado com uma senhora originaria da família Lihauca.


O  acidente  na pista do aeroporto Albano Machado

 
O avião do tipo Embraer, de fabrico brasileiro, uma das aeronaves utilizadas  para curtas viagens executivas que se presume ter vindo de uma das províncias do sul do país, de transito para Benguela, para depois partir para Luanda, cujo os nomes da tripulação ainda não foram revelados, acidentou  ao meio da manhã  desta quarta-feira « 14 de Setembro», em plena pista no aeroporto Albano Machado, na cidade do Huambo.
 

Com  capacidade para 33 pessoas, a aeronave fazia-se transportar de 36 passageiros, dos quais trinta pereceram do acidente. O sinistro aconteceu quando a aeronave procedia a descolagem depois de ter sido abastecida. Por razões desconhecidas, o vôo  inclinou-se lateralmente para um dos lados, causando derrapagem em despiste que sresultou na morte de 30 passageiros, dos quais o general Kalias, o brigadeiro Katata, o Brigadeiro Kizua e tantos outros oficiais superiores, subalternos, sargentos, praça e civis.

 
Os seis sobreviventes, incluindo um dos pilotos da aeronave, foram evacuados imediatamente para o hospital central do Huambo, encontrando-se  neste momento a receber tratamento medico, enquanto que os mortos removidos para a casa mortuária. De realçar,  o estado de saúde critico de um dos membros da tripulação sobrevivente.
 

Este é o terceiro acidente de aviação envolvendo aeronaves militares, há menos de dois meses, depois da queda dos helicópteros também militares, nas províncias de Malanje e Moxico respectivamente.         



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: