Luanda - Em repúdio a denúncia "fantasmática" de um personagem  que se atribuiu o nome de Justino Justo, o segundo candidato mais votado no último congresso da Juventude Unida Revolucionária de Angola (JURA), Adriano Sapiñala, ou melhor, Didi Chiwale, enviou-nos uma carta – de espécie de direito – desafiando o autor de “Teses e qual coisa” a sair da toca e mostrar o ‘fucinho’.


Fonte: Club-k.net

 
O Club-k.net faz questão de publicar na integra o texto de Didi Chiwale: 

Li e reli com atenção o artigo que o senhor que se intitula chamar Justino Justo escreveu o ano passado no Jornal de Angola e que postou no passado dia 14 do corrente mês, no portal da Angop, referenciando-se de um almoço cuja promoção é atribuída a mim no caso Didi Chiwale, onde participou o Dr. Liberty Chiyaka (actual secretário provincial da UNITA no Huambo), que teríamos traçado neste mesmo almoço algumas teses para o Congresso da JURA realizado nos dias 16 a 18 de Julho de 2010, que o senhor as considera de “Teses Golpistas do Congresso da JURA”.
 

Ora bem, eu começo a abordar a questão pondo em causa a identidade do senhor Justino Justo, pelo simples facto de não o conhecer de nome e nunca tinha ouvido falar do mesmo em nenhum momento antes de publicar o artigo em referência.

 
Também antes mesmo de rebater as questões que ele evocou no mesmo artigo quero desmenti-lo pelo facto de eu, Didy Chiwale, nunca organizei nenhum almoço para tratar de “Teses do Congresso da JURA”. Aproveitando o momento e dizer ao autor deste artigo que tudo que se tratou antes, durante e depois do Congresso da JURA, tratou-se em sede própria e não em almoço nenhum de ninguém.
 

Quanto as questões levantadas pelo senhor Justino Justo demonstram o sentido de subserviência que tens ao Regime no Poder actual em Angola, cuja tarefa de procurar mostrar serviço ao seu Chefe encalhou neste artigo em que apareceu no ano passado e volta agora no portal da Angop para justificar a tomada de consciência voluntária que a juventude angolana tem demonstrado nos últimos tempos e que começa preocupar o Regime do MPLA.
 

Eu aconselho o autor deste artigo a fazer um estudo comparado com qualquer referência que ele possa ter sobre a realidade de Angola, em termos de DISTRIBUIÇÃO DE RIQUEZAS do país, os NÍVEIS DE CORRUPÇÃO de Angola, os NÍVEIS DE POBREZA, a EDUCAÇÃO, a SAÚDE, a PROBLEMÁTICA DA HABITAÇÃO na vertente casa própria, SANEAMENTO BÁSICO, EMPREGO, DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELECTRICA, ÁGUA CANALIZADA, só para citar alguns males que enfermam a JUVENTUDE ANGOLANA e concluirá que esta juventude não precisa de “Teses Golpistas”, como diz o Sr Justino Justo, para lutar por uma vida melhor.
 

Por outra, o senhor em vez de procurar culpados onde não existem que tal, dirigir-se as Estruturas Governamentais do País e mencionar os problemas da Juventude na busca de solução para elas? Acredito que deste jeito poupar-se-á ao trabalho de especular e prestará melhor serviço ao País.
 

Para concluir desafio o senhor Justino Justo a provar ao povo Angolano com factos a acusação que faz a mim, ao Dr. Liberty Chiyaka e ao secretário geral da JURA, Nfuka Muzemba (detido injustamente como os outros jovens).
 

Também faço um apelo as autoridades competentes que libertem os jovens que se manifestaram no dia 03 de Setembro de 2011, e foram injustamente condenados e  anulem o julgamento dos que detiveram no dia 08 de setembro, por estar claro que não cometeram crime nenhum apenas observavam um direito que lhes é constitucionalmente admitido.


Com o mais alto sentido de cidadania e elevado grau de Patriotismo darei sempre da melhor maneira o meu contributo no engrandecimento e desenvolvimento do nosso País conscientemente sem precisar do auxilio do senhor Justino Justo.


Didy Chiwale



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: