Lisboa –  Uma suposta “ordem superior” que se faz sentir na Cadeia de Caboxa, na província do Bengo, onde foram transferidos parte dos estudantes  condenados por participaram na manifestação do dia 3 de Setembro, esta a ser encarada no seio do Bloco Democrático com reservas de que as autoridades  queiram partir para uma tentativa de envenenamento.


Fonte: Club-k.net

Foram colocados numa cela com abelhas

O    Bloco Democrático, conforme  analises internas, apóiam-se nesta  tese de envenenamento através da decisão do regime  em obrigar  os manifestantes a comer apenas a  comida da cadeia.  Os mantimentos levados pelos familiares dos  detidos    é rejeitado pelo governo.


 
Esta formação política da oposição,  segundo uma fonte interna, mostra-se igualmente escandalizada  pelo facto de os detidos  não terem  acesso ao pátio, e  a sala   da cadeia onde os detidos   podem ver televisão. Outra preocupação do BD  é o facto de os jovens terem sido  colocados numa cela  com abelhas e  mosquitos. 


Face ao isolamento imposto aos manifestantes, o Bloco Democrático não tem duvidas que o regime fez dos jovens presos políticos. “eles estão  castigados por  pensarem diferente ao regime”, disse a fonte esclarecendo  que encontram-se na cadeia  de Caxito,  cinco dos manifestantes dentre os quais, “Carbono” Casimiro e Alexandre Dias dos Santos “Libertador”. 


O Bloco Democrático, a JURA e organizações dos direitos humanos  tem na agenda uma deslocação aquela cadeia para testemunhar as condições desumanas  a que as autoridades angolanas  estão a impor aos jovens.


A preocupação de sector do Bloco Democrático faz parte da sua política de  defesa dos direitos humanos. A mais recente  reacção pública  que os mesmos  tiveram foi através de um alto dirigente da sua direcção, Nelson Pestana, feita em vídeo a circular nas redes sóciais.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: