Lisboa – Entre os rumores, sempre díspares, que ciclicamente circulam sobre a sua pessoa, em particular nos aspectos político e dos negócios, os que apresentam mais verosimilhança são os que o dão como estando votado a uma “certa marginalização” por parte de José Eduardo dos Santos (JES) e/ou que muitos dos seus negócios se revelaram menos promissores do que o previsto, razão pela qual se viu obrigado a proceder à liquidação de alguns.

 

Fonte: AM


Os apoios ainda expressivos de que dispõe no aparelho do MPLA e na elite político-económic, talvez sejam ainda suficientemente importantes para dissuadir JES da intenção que lhe é atribuída de nem sequer o incluir nas listas do MPLA às eleições legislativas/presidenciais de 2012 – e só por isso o seu lugar de deputado ainda é dado como “cativo”.

 

Os seus insucessos nos negócios, atribuídos a uma ausência de critérios de racionalidade dos respectivos investimentos e a deficiências de gestão, também não são gerais; só alguns se arruinaram.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: