Luanda – Um grupo de agentes  da segurança angolana trajados a paisana voltaram a infiltrar-se, este domingo,  na manifestação em favor das vitimas da repressão do dia 3 de Setembro que decorre na capital do país. Os mesmos terão desta vez usado  produtos tóxicos.

 

Fonte: Club-k.net

Reportagem da RTP obrigada a deixar o local

Os seguranças a civil  estão ameaçar os jornalistas presentes ao local. Ao  repórter da RTP- África em Luanda, Paulo Catarro foi lhe posto nas vistas um produto toxico tendo enfrentado dificuldades de se manejar e se retirado  do local.    Um jornalista do Semanário SOL, foi igualmente agredido. A intenção que se atribui, aos agentes a paisana  é no sentido de dispersar a presença dos  jornalistas para de seguida reprimirem os populares para que não haja registro da acção

 

As famílias  e amigos dos presos políticos começaram a sua marcha  a partir  do cemitério da Santa Ana. A Policia Nacional criou entretanto  bloqueio aos mesmos nas mediações da Unidade Operativa, nos arredores do Mercado do Jumbo, impedido com que os mesmos avançassem. A população, num total de 500 pessoas,  esta a manifestar-se com cânticos de ordens.

 

De recordar que na manifestação do dia 3 de setembro, as autoridades colocaram elementos a civil que agrediram os manifestantes e jornalistas que viram o seu material a ser destruído como forma de evitar que captassem imagens.  As autoridades prenderam os promotores da iniciativa e condenaram-lhes em tribunal sob acusação de “arruaça”, num processo em que a sociedade angolana criticou por não terem havido provas contra os jovens.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: