Luanda -  O cantor Koreon Du (José Eduardo Paulino dos Santos) destoou na noite musical do Chá de Caxinde segunda-feira última, 24 de Outubro. O artista foi elevado à categoria músico de “primeira grandeza” pelos bajuladores de plantão, que se acotovelaram para conseguir um autógrafo seu meses passados. Nunca um lançamento de disco foi tão concorrido por ministros e altas figuras da nomenklatura do MPLA como o do filho do Presidente da República.


Fonte: Club-k.net


Considerado uma referência cultural da capital angolana à segunda-feira, o evento realiza-se no Espaço Verde Caxinde, na esplanada do Cine-Teatro Nacional e é abrilhantado pela Banda Maravilha. O lema do show é “se ajoelhou tem que rezar”, o que quer dizer que qualquer cantor que vá a casa deve fazer uma “canjinha” para o respeitável público de quarentões, cinquentões e sexagenários.

 

Na última segunda-feira quem lá esteve pela primeira vez foi Koreon Du, o filho do Presidente da República que é músico. Como manda a praxis da casa, o animador da noite, o baterista Marito, anunciou a presença do emergente cantor e prometeu levá-lo ao palco para apresentar-se à fiel plateia da casa.


Depois do intervalo musical que deu lugar a declamação de  poesia e outros números culturais, Koreon Du foi convidado a subir ao palco mas dele nem sinal. O bem-disposto baterista e apresentador do show ainda suplicou a sua presença junto da banda para explicar ao menos que a sua voz não estava boa, conforme confabularam durante o intervalo, mas ninguém o viu nem o ouviu.

 

Com esse gesto, Koreon Du foi também o primeiro a quebrar uma longa tradição da, que nessa noite acolheu músicos cabo-verdianos vindos de Lisboa, bem como o sempre surpreendente Edy Tussa. Pena que tivesse sido assim, porque aquela plateia de respeitáveis anciãos e jovens já entrados na idade bem merecia uma justificação do cantor.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: