2- A maioria dos Partidos Políticos fala em mudança enquanto que a FpD entende a «mudança » na forma de se fazer e de se estar na politica e não na substituição de uma ditadura por outra.

3- A FpD é contra a bipolarização do estado porque esta abafa a democracia representativa e vicia os actores políticos e consequentemente fragiliza as instituições democráticas.

4- A FpD pretende no parlamento trazer uma nova politica em Angola, começando por reformular o espaço de debate que nestes 16 anos foi incapaz de discutir ideologicamente a real necessidade do povo Angolano. O Parlamento que deveria ser o espaço privilegiado de discussão da vida nacional esteve refém do estado de depredação enraizado na figura do príncipe, dando lugar assim aos novos ricos que desrespeitam a ideia da República e reproduzem o subdesenvolvimento.

5- A FpD vê a democracia representativa não como um espaço de charme em que os deputados exibem futilidades e que no fim do mandato da legislatura não representaram aqueles que lhes delegaram os seus poderes. Na expressão popular, o povo diz o seguinte: tal como entrou, foi tal como saiu. Por isso somos adeptos da democracia participativa assente nos paradigmas do Séc. XXI em que existe uma relação de responsabilização entre governantes e governados

6- Não tenhamos dúvida que a FpD veio da sociedade civil e que sempre esteve próximo dela, sendo mesmo o Partido Político com mais participação cívica e política contribuindo para afirmação do espaço público e dando oportunidade aos jovens de exercerem na plenitude a sua cidadania. Podemos chamar e considerar que a FpD é uma nova escola politica com uma corrente de pensamento virada para liberdade, modernidade e cidadania.

7- No jogo político começa a ficar claro que na próxima legislatura os Partidos Políticos serão confrontados com outras realidades sócio-politicas e os cidadãos para além de terem maior consciência dos seus direitos serão também mais exigentes em relação àqueles em quem depositaram o seu voto. A imprensa será mais actuante e plural, a sociedade civil mais interventiva . É neste campeonato politico que a FpD pretende disputar um lugar privilegiado com uma bancada parlamentar forte que seja a voz dos sem voz e batendo-se contra as desigualdades sociais.

8- O eleitorado já compreendeu que é necessária mudança, mas não compreendeu quem de facto trará a mudança. Assim sendo, a FpD apela ao voto dos cidadãos nos Partidos Políticos, mas também o voto dos cidadãos nas figuras que compõem as candidaturas destes partidos. Se assim acontecer estaremos perante a avaliação ética da personalidade dos deputados .

9- A FpD não faz promessas demagógicas e nem populistas para atrair o eleitorado. Respeita a vontade do povo angolano e pretende que este participe da concepção, da gestão e fiscalização da governação.

10- Todos os democratas de bom senso adeptos da democracia, da pluralidade de opiniões e com sentido de justiça apurado sem dúvida que votarão em consciência na FpD. Antes do dia 5 de Setembro todas as angolanas e angolanos devem fazer-se a seguinte pergunta: quais os Partidos e políticos que melhor correspondem às exigências da qualidade do poder legislativo e centro da politica nacional? Sem dúvida que a FpD é parte deste grande desafio da qualidade legislativa.

Fonte: Semanário Angolense



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: