Sendo um dos que fazem parte deste povo sofredor e que almejam a mudança, fiz meu, sem reflectir, este célebre vocábulo recém-nascido na paisagem política angolana. É assim que aderi ao Movimento Para a Mudança - MPM (não é um novo partido político, é apenas um grupo de patriotas angolanos espalhados no mundo inteiro e que querem uma Angola melhor para todos) e comecei a exprimir-me em termos de mudança.

Mas depois duma madura reflexão, uma pergunta atravessou a minha mente. Mudança sim, mas que tipo de mudança? Esta é a pergunta legítima que cada angolano deve colocar-se. Muito mais os que vão votar no dia 5 de setembro de 2008.
Já que nós da díaspora fomos impedidos de votar porque certas pessoas tiveram medo das consequências do nosso voto. Nós vivemos nos países livres e democráticos do mundo. Não votamos às cegas, mas sim segundo o desempenho dos governantes.   Por isso fomos banidos do voto. Mas a justiça sempre triunfa e triunfará também em Angola.

Aspiramos todos a uma Angola melhor, mais justa, mais unida, reconciliada, fraterna, desenvolvida, forte...e sobretudo democrática e onde reina o estado de direito.Mas esta mudança não deve ter por única razão o facto de muitos  estarem fartos dos dirigentes actuais. Deve ser uma mudança responsável e para o melhor. Não podemos apelar a mudança para em seguida colocarmos no poder dirigentes que serão piores que os que ai já estão.

Dizendo isto não estou a chamar ao voto dum Partido bem determinado. Estou apenas a dar elementos de reflexão a todos aqueles que irão votar no dia 5 de setembro. Porque sendo cristão, orei e continuo a orar para que as eleições em Angola sejam livres, justas e transparentes. Mas o alvo principal da minha oração é para que Deus omnisciente nos ajude a escolher os melhores dirigentes para o nosso país. Porque só Deus conhece os que serão bons governantes, ou bem, dirigentes menos piores para Angola de amanhã. Nada nos indica que os da oposição sejam os melhores, pelo simples facto de se oporem aos maus dirigentes.

Não é segredo para ninguém que o governo actual e o precedente dirigiram muito mal o país ao longo destes 33 anos de independência. Não vale a pena eu citar, uma vez mais, todos males que acabrunham, afligem a nossa sociedade, porque são imensos.E a tendência de todo povo oprimido é pensar em mudar de dirigentes. Portanto, como já disse um pouco acima, temos que mudar para o melhor. Se mudarmos para o pior, em vão serão os esforços e sacrifícios do MPM. E o melhor, quem o conhece é Deus e ninguém mais.

Temos muitos exemplos de povos que quiseram a mudança a todo custo e instalaram no poder dirigentes piores que os que ai estavam. A mudança que vem do homem não é a melhor. Mas a que Deus opera é a melhor e a pacífica.
A República (dita) Democrática do Congo (RDC) é um dos exemplos do que estou relatando. A actual RDC é ainda mais pior, em vários aspectos, que o ex Zaïre do falecido Presidente Mobutu. Para ilustrar o que acabei de dizer; o falecido ditador Mobutu Sese Seko embora que desgovernou o seu país durante 32 anos, como fazem quase todos “reis” (presidentes) no poder em África, todavia, fez uma boa coisa que todo mundo reconhece, inclusive os próprios congoleses ou congolenses. O Mobutu unificou a nação zairense do então (hoje Congo Democrático). Ao chegar ao poder o Kabila pai reinstalou o tribalismo. Nomeadamente descartando a língua nacional mais falada no Congo, o Lingala, a favor do Swahili.

A mudança não deve ser apenas do governo ou das políticas levadas a cabo. Ela deve abranger também e sobretudo as mentalidades, comportamentos, atitudes e estado de espírito. Pois a mudança na vida duma pessoa começa nestes domínios. Ninguém pode mudar enquanto a sua mentalidade, a sua maneira de pensar, de conceber as coisas não mudar primeiro. Um escravo liberto continua sempre a pensar tal que um escravo não liberto quando a sua mentalidade, o seu entendimento não é renovado.

Para que possamos votar com liberdade, com o sentido de responsabilidade no dia 5 de setembro, devemos renovar o nosso entendimento e abandonarmos o fanatismo que é a pior das coisas. O fanatismo impede a pessoa ver as coisas com lucidez, com realismo, com clareza, enfim, com imparcialidade.

O que cada leitor deve reter neste artigo é que devemos todos pedir a Deus que nos mostre, que nos dê a convicção sobre o partido em que devemos votar. Porque a mudança em Angola não deve ser a todo custo. O que nos interessa é termos governantes que nos amam e que vão tudo fazer para que tenhamos uma vida melhor. Pouco nos importa se esses são do partido X ou Y.

Se todos nós pedirmos a direcção de Deus, escolheremos os que vão bem servir a pátria. Porque só Deus os conhece. Ele é omnisciente, sabe toda coisa antes de acontecer.Quando Deus faz a mudança as coisas dão certo. Mas quando o homem o faz sem Deus, as coisas tornam mais pior do que antes. Então peçamos a mudança de Deus que é a perfeita e a sábia. Mas não nos esqueçamos de pedir primeiramente a mudança das nossas mentalidades. Porque  somos nós que devemos começar a mudar de mentalidades para em seguida vermos Angola mudar. Porque a mudança das nossas mentalidades, do nosso entendimento fará com que Angola também mude. Sem este pressuposto Angola não mudará para o melhor. Mesmo com um novo governo. Mesmo com o governo do actual oposição!

Aos irmãos do MPLA, digo o seguinte. Falar da mudança não é sinónimo de detestar este partido. É somente desejar o que certos angolanos acham melhor para Angola. Se Deus decidir que a mudança deve se fazer, mas com o MPLA, ninguém pois se oporá.

Também devem saber dissociar as críticas dirigidas ao governo com as dirigidas ao partido MPLA. Porque é legítimo que o governo seja criticado. É o que tem acontecido no mundo inteiro. Nenhum governo do mundo é elogiado a cem porcento. Quem não é criticado não avança. Criticando o nosso governo, este último faz esforços para fazer melhor e assim progride. Então aceitemos as críticas para o progresso do nosso belo país Angola!

Que Deus ajude os angolanos a mudar Angola, no nome de Jesus-Cristo. Amém!

Patriota Liberal,
O Revolucionário Anticonformista
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: