Luanda - Sob a tutela da Fundação 27 de Maio, os sobreviventes e parentes dos perecidos aquando do genocídio verificado de 1977 a 79, voltam a sair às 13 horas de hoje, as ruas da cidade capital, para uma manifestação pacifica, com intuito de exigir a abertura do processo junto do executivo liderado pelo José Eduardo dos Santos, então presidente da Comissão de Inquérito.


Fonte: Club-k.net

De acordo com um comunicado em nossa posse, a concentração para a marcha manifestação, já consentida pelo Governo Provincial de Luanda, está prevista defronte a Igreja São Domingos (adjacente da Cidadela Desportiva). Os manifestantes marcharão em direcção à cadeia de São Paulo até a Avenida Brasil e, desta até ao Triangulo dos Congolenses onde se realizará o ponto mais alto.


Para a participação do acto, a Fundação 27 de Maio apela à presença, além dos sobreviventes e familiares dos perecidos aquando dos tristes acontecimentos de 27 de Maio de 1977, dos membros da sociedade civil, antigos combatentes e o público geral. 


De recordar que, a Fundação 27 de Maio passou a manifestar-se todos os santos sábados, desde o dia 5 do corrente mês, em Luanda, a fim de reivindicar várias questões dentre eles: a exigência da abertura do processo sobre 27 de Maio; A entrega das ossadas dos comandantes-generais para o enterro condigno; A viabilização do patenteamento dos ex-militares e a subsequente pensão de reforma; A construção do monumento memorial; A indemnização aos ex-presos políticos; A viabilização da Fundação 27 de Maio como instituição de carácter público, para dotação orçamental e emissão de certidões de óbitos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: