Kwanza Norte - O edifício onde funciona a delegação provincial do ministério do Interior e o comando provincial de protecção civil e bombeiros daquela província, cita na rua Alto Rosa, em Ndalatando, está há mais de 15 dias sem corrente eléctrica por alegada falta de pagamento do consumo da preciosa corrente na área do deposito financeiro da direcção provincial de energia e águas do Kwanza Norte, soube o Club-k de uma fonte daquele domicílio do MININT na região.
 

Fonte: club-k.net 
 
Segundo relatos de alguns funcionários que ali labutam revelaram a este portal que o comando está em cativeiro porque muitos são os transtornos causados pelo apagão que se regista naquelas instalações há mais de duas semanas porque os trabalhos administrativos estão muito complicados e os computadores e outros electro domésticos que ali existem estão de férias por causa de falta da luz eléctrica.


E ainda os expedientes de caracteres correntes e urgentes são feitos em algumas reprografias, propriedades dos vietnamitas, locais esses inseguros em termos de segurança e sigilo profissional no seio da corporação, isto é, pelo facto das mesmas serem  frequentadas por muita gente e nós  utilizamos-as como  alternativas.


Questionados sobre as razões do corte eléctrico naquele comando afecto ao Ministério do Interior os nossos interlocutores disseram não terem conhecimento das prováveis razões do apagão, descartando uma avaria no cabo eléctrico que transporta a corrente eléctrica naquele quartel.
 
 
Porém, um dos técnicos afecto a área de fiscalização da DPEA local, que falou por telefone  ao club-k.net, disse sem revelar valores quanticos  que aquele comando e ao mesmo tempo delegação provincial, têm uma quantidade avultada por amortizar na área do pagamento da luz da nossa direcção, sem a qual não será reposta a normalidade da energia naquele estabelecimento do MININT local, segundo ordens do titular da pasta.


Entretanto, a nossa reportagem tentou contactar o comandante provincial dos serviços de protecção civil e bombeiros, João Cassua, o delegado do Interior, o comissário José Manuel Calé “Welema” já que comungam o mesmo edifício bem como o director provincial da energia e águas, Joaquim Jerónimo para o devido esclarecimento do polémico assunto a nível local mas sem sucesso.  Mas a breve trecho voltaremos a ribalta do assunto.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: