Luanda - A FUNDAÇÃO 27 DE MAIO vem por este meio comunicar aos seus filiados e Povo interessado, participantes nas marchas/ manifestações “non stop” que as mesmas ficam suspensas devido à quadra festiva.As mesmas serão retomadas na segunda semana de Janeiro de 2012.


Fonte: Club-k.net

O Presidium da FUNDAÇÃO deseja boas festas ao Povo Angolano, boas saídas e entradas no novo ano que se avizinha.
Para o próximo ano, a FUNDAÇÃO exorta o Povo angolano para que se desperte do sono de medo,  enfrentando os desafios das próximas eleições, de modo a eleger dirigentes honestos, sinceros e acima de tudo patriotas.


A FUNDAÇÃO reiteira os seus principios estatutários e tudo fará para que o Processo sobre os acontecimentos do 27 de Maio de 1977, sejam esclarecidos. Prevendo mesmo a prisão de alguns matadores. Recordamos aos nossos compatriotas que, a matança ocorrida, naquela altura, não se extingue. Por isso, leve o tempo que levar os assassinos serão julgados.


O bem-estar espiritual, social e económico do Povo Angolano depende de nós mesmos, pois que Deus colocou tudo no nosso país para dele usurfruirmos. Devemos para isso, lutar contra os gestores do nosso petróleo, diamantes, peixe, madeira, ouro, cobre, rios, mar e toda riqueza que existe no nosso país. Eles pensam que essa riqueza toda é deles.


O Presidente da República e os seus ministros, incluindo os deputados, são nossos servidores, mas não nos servem. Porque sabem que o povo tem medo de agir. É preciso acabar com o medo que é uma criação do MPLA, através dos agentes do SINFO (DISA), que permitem ao MPLA governar o país como quer, roubando os milhares de milhões de dólares e o escondem nos bancos estrangeiros.


O MPLA é como camaleão!... Quando pretendia alcançar a independência dizia: “O MPLA é o povo e o povo é o MPLA”. Dizia ainda: “Quem manda é o povo e o povo é MPLA etc., etc.. Acusava os outros movimentos (FNLA e UNITA) como agentes do imperialismo internacional. Pois dizia que estes pretendiam instalar em Angola independente um regime neocolonial.


Hoje todo o dinheiro que roubam do Povo escondem-no nos países imperialistas. Estão casados com aqueles que promoveram a guerra entre irmãos. São agora os seus parceiros fortes, na roubalheira da nossa riqueza.


Depois atribuíram os males que assolavam a população aos fraccionistas tais como, a falta de água, energia, salários na função pública, polícia e FAPLA. Mataram mais de 80 mil angolanos, na maioria militantes consequentes do MPLA. Chamaram-lhes de golpistas, fraccionistas, nitistas e agentes do imperialismo.


Mataram os poucos quadros político-militares do ante-independência, adolescentes, jovens e velhos de ambos os sexos. Até os jovens que se encontravam no estrangeiro a estudar, foram repatriados e muitos deles fuzilados.


O MPLA está agora atrapalhado face as próximas eleições, pois que não vai conseguir atingir a metade do eleitorado de 2008, conseguido com fraude. Na perspectiva de nova fraude, o MPLA está a recolhe os cartões eleitorais afim de tirar o número para mais tarde introduzir no computador antes das eleições para o seu beneficio.


No entanto, a Sociedade Civil e os Partidos da Oposição já se aperceberam. Por isso, o Governo já diz que a contagem vai ser à mão. Tem de ser mesmo a mão para não acontecer como em 2008. Assim sendo, apelamos ao Povo sofredor de Angola que vote em consciência, isto é, não votar no Partido e pessoas que usurpam as nossas terras, refungiando-se na Constituição elaborada e aprovada por MPLA. As terras tiradas ao Povo são vendidas aos estrangeiros. 


A votação consciente permitirá formar um Governo de angolanos para angolanos, esbatendo as promessas dos actuais dirigentes mentirosos e aldrabãos, tais como, construção de um milhão de casas, um milhão e meio de emprego.


Ainda assim, apelamos aos Antigos Combatentes, independentemente do movimento político-militar (FNLA, MPLA e UNITA) a que tinha pertencido, não tenha medo. Com a mesma coragem, determinação e tenacidade demonstradas na luta contra o colonialismo português e depois contra o seu irmão, deve também agora demonstrá-la contra a ditadura e a tirania “Eduardista”, que valoriza o estrangeiro em detrimento do nacional.


A FUNDAÇÃO 27 DE MAIO vai retomar os seus “meeting’s” informativo e de luta contra o actual estado da nação e solicita a sua adesão e partici-pação para juntos exigirmos a Pensão de Reforma à que temos direito.  
Só juntos podemos mudar o quadro manifestan-do-nos publicamente, pois que sem pressão da nossa parte, os actuais dirigentes nada vão fazer em nosso benefício.


Vamos regressar as manifestações em Janeiro e contamos contigo. Desejamos saúde e felicidade para todos os angolanos. 


A UNIÃO FAZ SEMPRE A FORÇA!


NO ESPÍRITO DE MAIO:
O TRIUNFO DA VIDA SOBRE A MORTE!


Fundação 27 de Maio, em Luanda, aos 17/12/11

O PRESIDIUM



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: