Kwanza Norte - Os estudantes finalistas do complexo escolar Comandante Benedito em Ndalatando, encontram-se agastados com os funcionários da direcção daquela instituição que forma professores do I ciclo do ensino secundário, devido ao excesso de burocracia na emissão e entrega dos certificados e outros documentos de índole corrente.


Fonte: Club-k.net

De acordo com as denúncias dos nossos entrevistados a partir daquela pequena cidade da rosa de porcelana, os mesmos foram unânimes nas suas intervenções em acusarem os servidores públicos destacados na secretaria daquela escola do II ciclo do ensino secundário de fomentarem a corrupção e mostrarem sinais graves de incompetências laborais por parte dos mesmos, optando a trabalhar por via da cunha no processo da entrega dos certificados de habilitações literárias.
Segundo os finalistas, os diplomas curriculares estão a ser entregue aos proprietários de uma forma clandestina e por esquema, mas também só aqueles que terminaram na formação de professores.


“Por exemplo até hoje dia 11/01, pouco ou nada se fala dos certificados curriculares dos finalistas de 2011, enquanto o corre-corre das inscrições nas escolas superiores politécnica e pedagógica já começaram na terça-feira para a admissão dos novos candidatos e a concorrência dos candidatos para o ensino superior é maior, como é que ficamos, ninguém da direcção de escola nos dá uma satisfação acerca dos nossos documentos de aproveitamento assim então é como?”, questionaram os aflitos.


Porém, um dos funcionários sénior da direcção provincial da educação local que preferiu o anonimato por temer represálias dos seus chefes, atirou-se também contra aquela nova direcção do IMN pelo facto de não cumprir com a circular nº 16/DPECT/2011 de 23 de Novembro último, despachada por Velinho Joaquim de Barros, director provincial da educação do kwanza Norte, onde na qual o documento esclarece que todas as direcções das escolas daquela província devem emitirem com maior brevidade possível os certificados, declarações literárias bem como boletins de passagens dos alunos que aprovaram nas mais diversas classes, no sentido de se evitar os constrangimentos observados nos anos anteriores, mas a direcção do referido complexo escolar sob administração de Graciana Eugénia Manuel Pedro Neves Caetano ainda não cumpriu as orientações do representante do M’pinda Simão naquela província.


Entretanto, a nossa equipa de redacção, contactou a directora do complexo escolar em causa, a pedagoga Graciana Caetano, que no ano transacto substituiu o veterano Geraldo João Vunge Cabeia, que administrou aquela única instituição estatal do II ciclo de ensino secundário cerca de 16 anos, que até hoje conta apenas com oito salas de aulas.


Graciana Caetano confirmou o facto de ter havido um ligeiro atraso no processo de entregue dos certificados dos finalistas, em função das dificuldades dos próprios estudantes no que concerne a insuficiências dos documentos no processo individual dos mesmos. Ela afirmou ainda que, tais certificados já foram entregue aos seus respectivos destinatários, excepto um ou outro finalista que não recebeu o tão esperado documento por não ter feito a entrega antecipada do requerimento nas subdirecções pedagógicas daquele complexo escolar.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: