Comunicado do Conselho de Administração do BAI


Luanda -  O Conselho de Administração do BAI tomou recentemente conhecimento dos factos ocorridos em Cabo Verde e em que podem estar envolvidos dois dos seus colaboradores, tendo nessa sequência deliberado dar instruções aos seus representantes no órgão de administração daquele Banco para tomarem as providências necessárias ao reforço de todos os mecanismos de prevenção de branqueamento de capitais e de prestarem toda a colaboração necessária às autoridades competentes daquele país.

 

O BAI esclarece que, ao contrário do noticiado em várias publicações, o Conselho de Administração e a Comissão Executiva do Banco Africano de Investimentos Cabo Verde, S.A. se mantêm no exercício das suas funções sendo que o actual mandato termina em 2014.


O BAI confirma que o Banco Central de Cabo Verde solicitou a suspensão temporária de dois colaboradores, um dos quais Administrador não Executivo, enquanto decorrem as investigações para aferir as responsabilidades pessoais ao nível da legislação sobre a prevenção e combate ao branqueamento de capitais.


Antes mesmo desse pedido ter sido efectuado, o BAI Cabo Verde, com base no processo de averiguações internas que ordenou, obtivera já a renúncia ao cargo de Administrador não Executivo do colaborador acima indicado.


O BAI não pode deixar de lamentar a situação mas está certo que os factos em causa não são susceptíveis de colocar o prestígio e a solidez do Banco em Cabo Verde.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: