LUANDA — O embaixador dos Estados Unidos da América em Angola e São Tomé e Príncipe definiu nesta terça-feira, 4, em Luanda, sete prioridades para o fortalecimento das relações entre o seu país e Angola nos próximos anos.

Fonte: VOA

“As prioridades na construção um futuro sem barreiras em Angola são: fortalecer a diplomacia comercial, a segurança e a boa governação; melhorar o clima de negócios; promover intercâmbios bidireccionais povo a povo; apoiar os esforços na promoção da transparência para combater a corrupção; promover a liberdade de imprensa e apoiar a democracia de Angola, incluindo as eleições autárquicas”, anunciou Tulinabo Mushingi.


No discurso que pronunciou por altura das celebrações do 247º aniversário dos Estados Unidos da América, o diplomata sublinhou os vários investimentos americanos em Angola e destacou que o seu Governo pretende financiar, com um montante de 250 milhões de dólares norte-americanos, o Corredor do Lobito, por ele descrito como um dos projectos de infraestruturas mais importantes de Angola em termos estratégicos.

“Este será o maior e primeiro investimento da DFC em Angola e o seu primeiro investimento num projeto ferroviário em África” , sublinhou o embaixador americano.

 

Mushingi lembrou outros investimentos americanos, nomeadamente, no domínio energia renovável acessível através das centrais fotovoltaicas de Baía Farta e Biópio em Benguela e entrada para o mercado angolano o novo operador de telemóveis Africell que, segundo afirmou, já tem mais de 7,5 milhões de clientes e mais de 250 mil agentes do seu novo programa, Afrimoney.

O embaixador destacou que a parceria entre os EUA e Angola cresceu bastante, “reflectindo o reconhecimento dos nossos líderes de que juntos, podemos produzir resultados positivos para os nossos povos”.



Tulinabo Mushingi aproveitou para agradecer os diversos parceiros do seu Governo pelos esforços “para construir pontes para um futuro brilhante” e que “fazem enormes contribuições para a economia angolana.”


“Os nossos parceiros de longa data, a Chevron e a ExxonMobil sustentam dezenas de milhares de empregos em Angola. Os nossos novos parceiros, como Africell, Gates Air, Quanten, Sun Africa, e Acrow Bridge, estão a trabalhar nas áreas como digitalização das redes de telecomunicações, formas de energia limpa, e infraestruturas” destacou o representante do Governo EUA em Angola e São Tomé .

O diplomata americano expressou o orgulho do seu país “de apoiar o compromisso de Angola de erradicar a corrupção” tendo também destacado a cooperação, que “continua a crescer” entre Angola e os EUA em matéria de segurança.

“Ao trabalharmos juntos, criaremos uma Angola e uma Região Atlântica mais segura, para construir pontes para um futuro mais seguro para todos. Os Estados Unidos reconhecem a liderança de Angola na construção da paz e estabilidade regional transatlântica. O objectivo é proteger os nossos povos contra ameaças, quer de de saúde publica, instabilidade política ou terrorismo”, disse.

Ao longo do seu discurso, Tulinabo Mushingi afirmou que Angola e os EUA também partilham o compromisso de proteger o ambiente natural.

“É por isso que estamos a criar oportunidades económicas no delta do Okavango, preservando ao mesmo tempo a sua biodiversidade. Juntos, trabalhamos construindo pontes para um futuro melhor”, concluiu o embaixador americano na cerimónia na Embaixada dos EUA em Luanda, em que estiveram presentes representantes do Governo, diplomatas, elementos da sociedade civil.