Luanda - O presidente angolano, João Lourenço, pediu hoje à nova diretora-geral adjunta do Serviço de Inteligência Externa (SIE) atenção aos conflitos "cada vez mais conturbados" que o mundo regista, dando o exemplo da instabilidade no Gabão.

Fonte: Lusa

João Lourenço desejou à diretora-geral adjunta do SIE, Teresa Manuel Bento da Silva, que substituiu no cargo Mário António da Costa Dias, sucessos e bom desempenho nas novas funções.

 

Segundo João Lourenço, o mundo de hoje está cada vez mais conturbado, "com conflitos de toda a ordem".

 

"Esta madrugada mesmo acabámos de ser surpreendidos com alguma instabilidade, que, em princípio, reina aqui no país irmão muito próximo de nós, estou-me a referir à República do Gabão, portanto, por tudo isso, os serviços de inteligência externa têm que estar de olhos bem abertos a tudo o que se passa no mundo, sobretudo em termos de segurança, em termos de estabilidade dos países", referiu.

 

Teresa da Silva foi nomeada pelo presidente angolano, depois de ouvido o Conselho de Segurança Nacional.

 

Na capital do Gabão, Libreville, após o anúncio oficial, durante a última noite, da vitória eleitoral de Ali Bongo Ondimba, um grupo constituído por uma dezena de militares declarou na televisão estatal ter "posto fim ao atual regime".

 

O Gabão faz fronteira com a República do Congo, Guiné Equatorial e com os Camarões.

 

A comissão eleitoral disse que o presidente Ali Bongo Ondimba, no poder há 14 anos, tinha conquistado um terceiro mandato nas eleições de sábado, com 64,27% dos votos expressos, derrotando o principal rival, Albert Ondo Ossa, que obteve 30,77% dos votos.

 

Segundo os militares autores do golpe de Estado, o presidente encontra-se em prisão domiciliária e há vários outros detidos, incluindo um dos filhos do chefe de Estado.