Luanda - A República de Angola, uma nação de rica diversidade cultural e recursos naturais, embarcou em uma jornada rumo à democracia nas últimas décadas. Desde o término da devastadora guerra civil em 2002, o país tem feito esforços notáveis para fortalecer as suas instituições democráticas e garantir a participação activa dos seus cidadãos no processo político.

Fonte: Club-k.net

O processo de democratização em Angola tem sido marcado por desafios significativos. Um dos principais ganhos tem sido a evolução do Projecto SIMPLIFICA que visa contribuir para que a Administração Pública seja eficiente, eficaz, desburocratizada e moderna, no sentido de facilitar a vida dos cidadãos e das empresas por meio de soluções inovadoras.

Verifica-se, que ao longo dos anos, tem havido avanços notáveis na promoção da pluralidade política e na expansão dos direitos civis e políticos.


Um dos marcos mais significativos foi a realização de eleições gerais em 2017. Estas eleições foram amplamente consideradas como um passo importante em direcção à consolidação da democracia em Angola, com uma campanha eleitoral relativamente pacífica e uma transferência de poder relativamente tranquila.

Outro desenvolvimento positivo foi a promulgação de uma nova Constituição em 2010, que estabeleceu um sistema multipartidário e garantiu direitos fundamentais, como a liberdade de expressão e o direito à participação política. Além disso, a sociedade civil em Angola tem se fortalecido, desempenhando um papel crítico na promoção da transparência e na prestação de contas do governo.


No entanto, desafios persistentes permanecem. A corrupção continua a ser uma preocupação séria, e a economia angolana enfrenta dificuldades significativas, apesar dos recursos naturais abundantes do país. Além disso, a liberdade de imprensa ainda é uma área em que Angola precisa melhorar.

Em resumo, a democracia angolana está em constante evolução. Embora tenha havido avanços notáveis, ainda há trabalho a ser feito para fortalecer as instituições democráticas, combater a corrupção e garantir que todos os cidadãos tenham voz no processo político.


A jornada rumo à democracia é um esforço contínuo, e Angola está determinada a superar os seus desafios e consolidar a sua democracia de maneira significativa.

 
Edgar Leandro
02.outubro.2023