Luanda – O governo de Angola irá criar em breve a empresa Caminhos-de-Ferro de Angola, que irá absorver todas as empresas ferroviárias existentes no país, afirmou o presidente da Caminhos-de-Ferro de Luanda.


Fonte: Macauhub


“O programa do governo prevê abrir à iniciativa privada a exploração comercial do serviço ferroviário”, disse Lobo do Nascimento, acrescentando que o Estado ficará com as infra-estruturas, cabendo às empresas a exploração comercial do serviço ferroviário nas suas diversas componentes.


De acordo com o estatal Jornal de Angola, Lobo do Nascimento anunciou na mesma ocasião a assinatura de um protocolo de parceria entre a Caminhos-de-Ferro de Luanda e o Centro Integrado de Formação Tecnológica (Cinfotec), no domínio da formação, consultoria e assistência técnica e realização de serviços e projectos técnicos conjuntos.


A parceria visa a qualificação tecnológica e oferecer aos quadros da Caminhos-de-Ferro de Luanda a possibilidade de actualização tecnológica, reforço e elevação da sua formação.


Angola dispõe de três grandes linhas de caminho-de-ferro – Luanda, Benguela e Namibe – a primeiro das quais, com 424 quilómetros, liga Luanda, a capital de Angola, a Malanje, capital da província com o mesmo nome.


O Caminho-de-Ferro de Benguela, com 1 344 quilómetros, liga o porto do Lobito, na costa atlântica, à povoação fronteiriça do Luau e o Caminho-de-Ferro do Namibe, com 756 quilómetros, faz a ligação entre a cidade de Namibe (antiga Moçâmedes) e Menongue (antiga Serpa Pinto).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: