“A estratégia de combate à pobreza é fornecer rendimento às pessoas por via do trabalho. Teremos de aumentar a oferta de emprego através da diversificação do sector não-mineral”, indicou Aguinaldo Jaime aos jornalistas, após um encontro com a missão de observadores da Sociedade Civil Africana.

O ministro Aguinaldo Jaime considera que a diversificação da economia deverá passar pelo impulsionamento de sectores como a agricultura, pescas, pecuária, construção e indústria transformadora, por permitirem a criação de um grande número de postos de trabalho.

Com essas duas vias (aumento da oferta de emprego e de casas sociais para os jovens), associadas a outras políticas do Estado, o ministro-adjunto do primeiro-ministro espera que sejam respondidas as grandes preocupações dos cidadãos.

Aguinaldo Jaime considera, de forma optimista, que a economia vai começar a criar condições para “remunerar bem” os trabalhadores angolanos, mas descartou a possibilidade de despedimento massivo da força de trabalho para melhorar os salários.

“A solução está na criação de condições para a diversificação da economia, aumento da riqueza e do empreendedorismo, de modo a permitir a iniciativa empresarial, para desafogar o aparelho administrativo do Estado e dar maior peso aos sectores económicos”, indicou.

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: