"Já se encontram definidos 99 dos 110 assentos em votação, sendo que nenhum dos candidatos da oposição conseguiu até o momento um número de votos que permita conquistar uma vaga", confirmou a presidente da CCE, Lídia Iermochina.
"A apuração das cédulas já foi concluída em 100 das 110 vagas disputadas, o que é suficiente para validar o novo parlamento", afirmou a fonte.

"A maioria dos eleitos são membros da legislatura anterior, chefes do executivo de governos locais, personalidades  de instituições médicas e diretores de empresas de grande porte", informou Lídia.

A presidente da CCE ainda informou que o diretor da Empresa Ferroviária da Belarus, Vladimir Jerelo, o vice-diretor  da equipe presidencial, Alexander Popkov, e o presidente do comitê executivo da região de Vitebsk, Vladimir Andreichenko, se encontram entre os eleitos.

Do total de 269 candidatos, cerca de 70 são oposicionistas ao governo do presidente Alexandr Lukashenko. O líder belarusso disse recentemente que a possível entrada deles no parlamento poderia influenciar em uma mudança de atitude do governo de Minsk em relação às elites governamentais do Ocidente.

Os Estados Unidos e a União Européia não reconhecem, desde fins dos anos 1990, as eleições realizadas em Belarus.
Ao mesmo tempo, membros da oposição pró-ocidental fizeram uma campanha de boicote às eleições e, em seu lugar, instalar flâmulas nas ruas, ao estilo das chamadas revoluções coloridas, impostas na Geórgia (2003) e na Ucrânia (2005).

Fonte: Agência Prensa Latina



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: