Luanda – O treinador da selecção nacional de futebol ameaça abandonar o cargo na sequência de atrasos no pagamento dos seus salários pela Federação Angolana de Futebol (FAF). Gustavo Ferrín colocou esta hipótese numa longa reunião que manteve ontem com o presidente Pedro Neto.


O técnico não recebe salário há 4 meses

Fonte: JD
Devido ao tempo que durou o encontro o treinador, que chegou terça-feira a Luanda, vindo do Uruguai, não embarcou com a equipa que se encontra no Lubango, palco do estágio para a Taça das Nações Africanas, CAN de 2013.

Gustavo Ferrin não recebe os seus ordenados há quatro meses enquanto os funcionários da FAF estão há sete meses sem os respectivos salários.

No entanto, o vice-presidente para Marketing da Federação Angolana de Futebol, João Lusivikueno, preferiu dizer apenas que a reunião entre Pedro Neto e Gustavo Ferrin foi para informar nova metodologia de trabalho, em face da saída de José Luís Prata.

A concretizar-se a saída do uruguaio, pode ser a segunda na história dos Palancas Negras, depois Hervé Renard, treinador francês que orientou os Palancas Negras por menos de um ano. Renard acabou por regressar ao comando da Zâmbia, tendo sido campeão africano, no CAN disputado em 2012, no Gabão e na Guiné-Equatrial.




DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: