Segundo a nossa nota de imprensa datada de 25 de Janeiro do ano em curso, na qual confirmávamos que o arguido entregou-se voluntariamente à policia judiciaria de Setúbal/Portugal tendo  confessado o crime praticado na Alemanha, assumindo que teria que pagar por isso, a policia criminal de Karlsruhe pediu um esclarecimento do caso a policia judiciaria Portuguesa com o objectivo de se confirmar a história, exigindo de imediato um mandado de estradição.

O julgamento teve lugar no passado dia 19 de Agosto do corrente ano e determinado a sentença final, no passado dia 27 de Agosto. O arguido foi acusado pelo tribunal supremo de Karlsruhe sem perdão porque segundo as suas explicações se concluiu que o crime foi conscientemente planeado.

O Juiz considerou homicídio voluntário, e crime premeditado. Lúcio Pedro Tavares, é julgado "sem dor nem piedade" e sentenciado com a pena mais alta na Alemanha "pena de prisão perpétua".

Recordamos mas uma vez que, Ângela e Lúcio Tavares, são naturais de Angola, nascidos em Benguela, e possuem ambos a Nacionalidade Portuguesa, por este motivo o arguido é julgado nos termos das leis Europeia, situação que impossibilita uma intervenção pelo estado Angolano.       


Munique 27 de Outubro de 2008


* João José Miguel “Jota”/Informação e Marketing
Fonte: Comunidade Angolana na Baviera



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: