Brazzaville - O embaixador Mário Feliz assumiu quarta-feira as suas funções como novo Cônsul-Geral de Angola em Ponta Negra, capital económica da República do Congo, a mais de 500 quilometros a Sul de Brazzaville, substituindo António Manuel Tombia, que concluiu a sua missão em 2012. A sua juridicção cobre ainda todo o departamento congolês do Kouilou, região fronteiriça com a província angolana de Cabinda.

Fonte: Angop

Nascido aos 9 de Agosto de 1950 em Kialundua, no município de Mbanza Congo, provincial do Zaire (Noroeste de Angola) e pai de cinco filhos entre os quais quatro rapazes, Mário Feliz é mestrado em relações internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais de Yaoundé, nos Camarões, e em psicopedagogia pelo Instituto Superior das Ciências da Educação de Brazzaville, na República do Congo, onde obteve antes a sua licenciatura.

Admitido em 1976 como funcionário na Secção de Analíses do Departamento de Organização do MPLA (DOM Nacional), tornou-se chefe do mesmo no ano seguinte, antes de ingressar no Ministério das Relações Exteriores (MIREX), especificamente na secção dos Países Socialistas do Departamento dos Assuntos Políticos.

Na sua carreira dipolmática, já exerceu as funções de segundo secretário na Embaixada de Angola na República Unida da Tanzania em 1984, e partir de 1992, as de chefe do departamento OUA’ (Organização da Unidade Africana) junto à Direcção África e Médio Oriente do MIREX.

De conselheiro na Embaixada angolana na Alemanha em 1995, Mário Feliz foi, cinco anos depois, promovido a ministro-conselheiro na mesma missão diplomática antes de ser nomeado, em 2002, Director da Direcção Ásia e Oceânia.

Promovido em 2005 a embaixador de carreira, foi nomeado sucessivamente Director da DAMO no ano seguinte, Director-Geral do Instituto de Apoio à Emigração e às Comunidades angolanas no Exterior em 2008, antes de tornar-se, em 2011, Director-Geral do Instituto das Comunidades angolanas no Exterior e Serviços Consulares.

Antes de ser nomeado Cônsu-Geral, era desde o ano 2012, consultor do ministro angolano das Relações Exteriores, George Rebelde Chikoti.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: