Luanda - Amélia Arlete Dias Rodrigues Mingas (Ingombota, Luanda, 1946) é uma professora e linguista angolana exercendo o cargo de Decana da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto.

Fonte: Wikipédia

Nascida na Rua do Carmo, à Ingombota, Luanda, Amélia Mingas fez a instrução primária na Escola n.º 8 e os estudos secundários nos Liceus Paulo Dias de Novais e Salvador Correia. Licenciou-se em Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e doutorou-se em Linguística Geral e Aplicada pela Universidade René Descartes de Paris.2


Professora do ensino secundário em Angola, exerceu as funções de coordenadora de Língua Portuguesa do Instituto Médio de Educação; foi chefe do setor, mais tarde, coordenadora do departamento, de Língua Portuguesa do Instituto Superior de Ciências de Educação de Luanda (ISCED) e diretora do Instituto Nacional de Língua do Ministério da Cultura.

Além de trabalhar em investigação, Amélia Mingas foi responsável pela cadeira de Linguística Bantu na Universidade Agostinho Neto.


Entre 2006 e 2010, Amélia Mingas foi diretora executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com sede na cidade da Praia, em Cabo Verde,4 tendo defendido o estabelecimento de uma política linguística comum aos oito Estados que têm o português como língua oficial.

Participou em vários seminários e palestras ligados à problemática das línguas africanas e portuguesa, no interior e exterior do país. Publicou Interferência do Kimbundu no Português Falado em Lwanda e tem para publicação três trabalhos de investigação relativos a uma língua do grupo kikongo, o iwoyo, falado em Cabinda.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: