Lisboa - O ministro do Interior, Ângelo Tavares Veiga, suspendeu toda a direcção do Serviço de Migração e Estrangeiros, na tarde do dia 09 do corrente mês, por alegadas práticas que ferem os princípios da instituição.

Fonte: Club-k.net

A decisão do afastamento surge no seguimento da conclusão de um inquérito ao qual a direcção dirigida pelo director nacional cessante, José Paulino Cunha da Silva, estava a ser submetida.

O resultado do inquérito fez também com que no dia anterior, ou seja na quarta-feira 8/1/14, alguns Chefes de Departamento e altos funcionários fossem suspensos de toda a actividade no SME por prática de corrupção, venda ilegal de visto de trabalho, cartões de estrangeiros, etc.

A comissão de inquérito/investigação foi coordenada por um funcionário sénior do SME (antigo delegado em Cabinda), António Lobo do Nascimento. Desde a sua indicação surgiram contestações por alegadamente pesar sobre si “processos de corrupção”, que por razões desconhecidas nunca conheceram desfecho final.

O Serviço de Migração e Estrangeiros esta - desde a data do afastamento da sua direção - a ser dirigido pelo seu director nacional adjunto, Eduardo Sousa dos Santos, que é oriundo do Serviço de Inteligência e Segurança de Estado.

Desde os últimos oito anos que as direcções do SME tem sido exoneradas por praticas menos boa para a imagem do Estado angolano (excepto com o consulado do general Dinho Martins que terá sido afastado  por fatiga em função da idade).

Já em 2006, a  então directora Nacional Maria Joaquina Domingos da Silva “Quina”  foi afastada por praticas que a levaram a ser condenada em tribunal. Ela seria substituída pelo general Dinho Martins. A quando a saída deste oficial militar reformado  foi nomeado como novo director João Maria de Freitas Neto, na altura director nacional de Contra Espionagem do Serviço de Informações.

A direção de João Maria de Freitas Neto seria igualmente afastada pelo antecedente dos seus colegas e em seu lugar foi nomeado o agora exonerado José Paulino Cunha da Silva, que é um jurista formado na Croácia.

Desde a saída e demissão das respectivas direcções do SME, apenas tem sobrevivido o director nacional adjunto, Eduardo Sousa dos Santos, que é um quadro com graus de parentesco com  a família da Primeira Dama, Ana Paula dos Santos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: