Como é de conhecimento público os líderes dos países Comunistas detinham o puder total na imprensa . Consequentemente toda informação antes de de ser publicada teria que ser censurada.

 

Perante esta realidade, o presidente angolano JES e com muita excelência contínua a fazer uso desta consonante comunista. Não concede entrevistas esporádicas aos órgãos privados, não debate directamente e publicamente aqueles temas pertinentes. Comunicados e Notas de imprensa foram sempre os meios preferidos dos estados comunistas. Críticos adiantam que JES apesar de estar a mais 28 anos no poder e ter lido mais de mil discursos ainda nota-se um certo “desconforto” perante a audiência e nas raras entrevistas concedidas é notável o fraco poder argumentativo.


Por outro lado, o idealista Jonas Savimbia que sempre suportou a mestria da política do Ocidente foi sempre confidente e muito bem argumentativo em entrevistas esporádicas e tido como um orador impressionante quer em línguas nacionais como em idiomas internacionais. Mesmo em temas comprometedores, Jonas Savimbi procurava sempre justificar o injustificável como acontecera com o assassinato da família Chingunge e a deserção de Nzau Puna e Toni Fernandes.


Portanto, para justificar o paradoxo em comunicação directa e sem censura existentes entre JES e Jonas Savimbi, confira o vídeo em anexo na qual a maioria das perguntas fora feita aos dois em separado.

 

 


Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: