Lisboa -  Estalaram-se na província do Kuando Kubango, um  clima de oposição entre o governador Higino Lopes Carneiro e uma franja de membros do Comité Provincial do MPLA, naquela localidade.  

Fonte: Club-k.net

Por causa das crescentes mortes em hospitais

Apesar de ser um quadro ao qual lhe são atribuídas competências e outras aptidões,  o general Higino Carneiro é referenciado pelos seus camaradas naquela província de  ter adoptado um carácter de desprezo aos nativos.  Alegam que as suas posições publicas tem sido alimentadas com recurso a discursos interpretados como ofensivos aos Nganguelas”, e outras vezes pondo em causa as habilidades dos mesmos.

A citada  franja de  membros do Comité Provincial do MPLA  alega  que o governador pouco tem feito para intervir no caso das alarmantes   mortes que se tem registado nos hospitais. Diz-se que por dia morrem cinco crianças e que há ausência de medicamentos, não obstante ao estado de escombro que o hospital central apresenta.

Outra preocupação dos militantes  nativos prende-se com o Registro de mortes a fome por causa da seca. A frustração dos mesmos, deve-se ao contraste no governador Higino Carneiro que por outro lado  gasta dos cofres do Estado cerca de  2 milhões de dólares para actividades como o Festimarço e para a feira do Gado no Cuangar.

Ainda sobre a província, os membros do partido notam que os  empresários locais faliram e por outro lado o governador dá negócios ou primazias a empresas   brasileiras e portuguesas, conhecidas  desde a altura em que era ministro das Obras Publicas.

Carneiro, segundo observações terá empreendido ações interpretadas como destinadas a ofuscar os interesses empresariais do  Deputado do MPLA,  Elias Piedoso Chimuco.  O governador através de um “testa de ferro” identificado por José Recio, construiu um  lodge, que se diz ser com fundos públicos,  que no entender dos membros do partido ofusca o lodge do Grupo Chicoil, em Menongue.

Os militantes por exemplo, alegam que em finais de 2013, foram transferidos cerca de 120 milhões de dólares para duas empresas próximas ao governador Higino Carneiro, a  SOENCO - Projectos e Consultoria, Limitada,  e   NNN - Engenharia e Construção Civil, sem que estas até ao momento tenham apresentado obras que justifique “tanto dinheiro”.  A SOENCO - Projectos e Consultoria, Limitada é gerida pelo Secretário Geral do Governo da província,  Rui Celso Fernandes da Silva, tido como o braço direito do general.

Em consequência dos reparos que lhe são feitos, o governador terá instaurado um clima de receios fazendo  com que os quadros se afastam com receio de alegas represálias. O elucidado   ficou visível na  última reunião do comitê provincial, na primeira semana de Março,  que  teve menos de 60 por cento de militantes presentes. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: