Antes de sofrer o golo, o conjunto sob a batuta de Mabi de Almeida chegou mesmo a manter algum domínio no meio-campo com controlo da partida.
O golo sofrido abalou a estrutura psicológica da equipa, desequilíbrio bem aproveitado pelos zambianos, que submeteram o último reduto angolano à intensa pressão. Nesta altura do jogo valeram as arrojadas intervenções de Lama.

Todavia, o Palancas chegaram à igualdade através de Love Cabungula, que atirou a contar na cobrança de uma grande penalidade, antes do intervalo. Job esgueirava-se na pequena área, quando foi rasteirado, infracção prontamente sancionada pelo árbitro.

Logo no reatamento, Love esteve à beira de colocar os Palancas em vantagem, mas o guardião Jacob Banda evitou o pior, num golpe de sorte.
Os angolanos apostaram no tudo ou nada. Pressionaram o último reduto, mas quase sempre sem a clarividência suficiente para visar positivamente a baliza contrária.

A Zâmbia procurou então gerir o jogo, já que mantinha a vantagem que trazia da primeira mão, e apostou no contra-ataque, arma que soube usar com mestria.
Já no declinar da contenda, Vado, que entrou a render Jamuana, falhou uma soberana ocasião de golo que podia ditar o destino da eliminatória, mas atirou para fora, tendo apenas o guardião Jacob Banda pela frente.

Embalados no ataque, os Palancas foram surpreendidos numa jogada de contra-ataque, que apanhou em contra pé toda a defesa de Angola. William Mbovu fechou o caixão, para delírio dos cerca de dois mil zambianos e desespero dos angolanos. Estava feita a história da eliminatória, com a Zâmbia a qualificar-se para o CHAN, com um agregado de 3-1.

Ficha técnica

Recinto: Estádio de Konkola, Chililabombwe.
Assistência: Cerca de 2.500 espectadores.
Árbitro: Labrosse Jean Claude (Ilhas Seychelles).
Árbitros assistentes: Folette Tarik e Cedres Jossy (Ilhas Seychelles)
Zâmbia: Jacob Banda; Nyambe Mulenga, Emmanuel Mboa, Hichani Himonde e Elijah Tana (Cap.); William Njobvu, Janos Sakiwaha, Kabuku Maunga (Kebby Hachipuka) e Given Singuluma (Lottie Phiri); Roger Kola e Kennedy Mudenda (Kondwani Mtonga).
Treinador: Herve Renard (francês).
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Civen Singuluma, por jogo perigoso.
Angola: Lama; Jamuana (Vado), Jamba (cap.), Locô e Asha; Chara, Mabina, Roger e Job (Zé Augusto); Rasca (Chinho) e Love Cabungula.
Treinador: Mabi de Almeida (angolano).
Acção disciplinar: Nada a assinalar.
Resultado ao intervalo: 1-1.
Resultado final: 2-1.
Fonte: JA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: