O Presidente do Zimbabwe, que falava na cidade mineira de Bindura, no norte do país, onde decorreu o congresso do seu partido, a Zanu-PF, disse não estar intimidado pelas pressões de vários Estados africanos, europeus e dos EUA para que abandone o poder. "Nunca irão ter a minha rendição", garantiu num lon¬go discurso em que abordou também a questão do Governo de unidade nacional.

Em tom crítico, Mugabe disse não saber "se um Governo deste tipo "pode funcionar ou não"; acrescentou, contudo, ter enviado uma mensagem ao líder da oposição, Morgan Tsvangirai, para que "ele preste juramento" como primeiro-ministro, cargo criado no quadro do acordo de partilha do poder assinado em Setembro.

O acordo continua por aplicar, dependendo da aprovação da reforma da Constituição no Parlamento e da repartição de lugares no Governo e num órgão coordenador da segurança interna e externa.

Tsvangirai numa interven¬ção realizada no vizinho Botswana, ameaçou suspender o seu envolvimento nas negociações se não lhe for revelado o paradeiro de quatro dezenas de militantes do seu movimento desaparecidos desde Setembro. Insistiu também na mediação da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral e da África do Sul.

Em paralelo com o Impasse polí¬tico, agrava-se a crise económica e acentua-se o colapso das estruturas públicas (ver caixa). Foi ontem colo¬cada em circulação uma nota de dez mil milhões de dólares locais - equivalente a cerca de 15 euros! -, a inflação atinge os 231 milhões por cento e a Bolsa de Harare deixou de funcio¬nar. As agências referiam ontem que os zimbabweanos passam noites inteiras à porta dos bancos para conse¬guirem levantarem o que resta dos seus depósitos. • Com agências

Inflação atinge cifra astronómica: 231000000%

CÓLERA M ATOU 1123

Falta de condições sanitárias e de infra-estruturas ajudam a espalhar surto.

A cólera causou 1123 mortos desde o início do actual surto no Zimbabwe, em Agosto, e nos últimos 30 dias registaram-se quase 21 mil novos casos, anunciou ontem o gabinete de coordenação dos assuntos humanitários da ONU. Este órgão considera que o panorama contínua a agravar-se na generalidade do pais, ainda que a situação em torno da capital, Harare. Tende a estabilizar-se. Nas últimas 48 horas não se registaram mortes devido à cólera nesta cidade. De acordo com um epidemiologista que visitou várias regiões, "a situação nos hospitais é preocupante", tendo visto instalações absolutamente degradadas e "desertadas pelo pessoal médico, que deixou de ir trabalhar".

* Abel Morais
Fonte: DN



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: