Lisboa - O Presidente angolano, José́ Eduardo dos Santos (JES), condicionou a sua presença na cimeira sobre África, prevista para 5 e 6 Agosto do corrente, em Washington, em função do mesmo ter solicitado uma audiência separada com Barack Obama, antes ou depois da iniciativa. 

Fonte: Club-k.net

Deseja  uma audiência em separado com Obama 

Ao tomar conhecimento da indisponibilidade de Barack Obama em recebe-lo em privado, conforme o seu desejo, JES indigitou o seu Vice-Presidente, Manuel Domingos Vicente, para o representar nesta  Cimeira.  

Por outro lado, alguns sectores do Departamento de Estado americano revelam-se esperançosos de que JES venha mudar de ideia a última da hora fazendo-se disponível para participar pessoalmente no evento, sob o tema "Investir na próxima geração".

Foram convidados para a cimeira Estados Unidos/África, cerca de 51 Chefes de Estado e de Governo de África. Durante os dois dias serão abordados temas  como saúde, vida selvagem, energia, comércio e investimentos em África, bem como paz e segurança no continente.  No último dia, o Presidente americano Barack Obama participará em todos os três eventos temáticos programados.

Há poucos dias, durante uma videoconferência para quinze capitais africanas, a  Secretária de Estado Assistente norte-americana para os Assuntos Africanos, Linda Thomas-Greenfield, revelou quais eram o desejo de Barack Obama, quanto a participação dos Estadistas africanos na cimeira.

"O Presidente (Obama) manifestou o seu desejo de que seja uma discussão interativa. Não pedimos aos chefes de Estado que venham com longos discursos, mas procuramos envolvimento, diálogo, uma oportunidade para que partilhem os seus pontos de vista", apontou  Linda Thomas-Greenfield.

De recordar que as autoridades angolanas tem   desde algum tempo se engajado - mas sem sucesso -  a persuadir as autoridades norte americana para que JES seja recebido na Casa Branca pelo seu homologo, Barack Obama.  Por outro lado, sectores opostos ao regime angolano, como no caso da oposição política (UNITA e BD) veem encaram este  desejo de Dos Santos (em ser recebido por Obama)  como uma forma de  legitimar o seu regime.

É consabido que o  Presidente norte-americano, Barack Obama não saudou a vitória  de JES, nas eleições de 2012. Paralelamente , aprovou uma directiva para África, com menção especifica para  a Angola, dando prioridade a programas de promoção da democracia e boa governação.

Desde a subida de Barack Obama ao poder, os Estados Unidos da América adoptaram uma política de pressão contra os líderes políticos mundiais que se fazem eleger com recurso a métodos extra-eleitorais. Em consequência disto tem alterado o seu relacionamento nas relações internacionais. Para o caso especifico de Angola, o “staff” da administração Obama  já foi  citado varias vezes  como estando a revelar uma conduta de saturação em relação as autoridades angolanas que tem a reputação de ser  “um dos regimes mais corruptos do mundo caracterizado pela violência, nepotismo e autoritarismo”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: