É considerada “fiável” em meios diplomáticos e de intelligence uma versão segundo a qual o recente atentado contra Nino Vieira, terá sido uma “montagem” destinada a criar à sua volta um clima de compaixão capaz de fazer esbater sequelas dos reveses que as eleições de 16.Novembro último acarretaram para o próprio. O assunto começou a ser objecto de atenção devido a uma atitude “céptica” de meios da sociedade relativamente à veracidade do atentado. A razão de ser de tal cepticismo é a inverosimilhança de detalhes da acção, entre os quais a natureza dos estragos causados pelo tiroteio dos pretensos atacantes, escreve o botelim.

 

Acrescenta que o representante da ONU em Bissau, Shola Omoredje, pelo qual Nino Vieira não nutre simpatia (e que não é favorável a uma renovação do seu mandato), propôs-se a promover a constituição de uma comissão internacional destinada a apurar o caso – com o alegado fito de identificar os responsáveis. A pretensão não foi aceite. Quase ao mesmo tempo foram iniciadas obras de reparação dos danos causados na casa de Nino Vieira. A lógica oculta da “montagem” teria sido a de erigir Nino Vieira em vítima, de modo a criar um clima propício a manifestações de apoio, que de facto se multiplicaram; o eco das mesmas permitiria concentrar atenções em si próprio e recuperar em termos de prestígio e influência
 
Fonte: AM



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: