Estas eleições foram disputadas por quatro candidatos incluindo o Presidente cessante Robert Mugabe e o líder do Movimento para a Mudança Democrática (MDC, oposição), Morgan Tsvangirai.

Resultados ainda não oficiais dão 47,8 por cento dos sufrágios a Morgan Tsvangirai seguido de Mugabe com 43,2 por cento, o que dá lugar a uma segunda volta das eleições entre os dois candidatos.

Mas, o MDC que reivindica 50,3 por cento dos sufrágios, segundo os seus próprios cálculos, protestou imeditamente contra as cifras apresentadas pela Comissão Eleitoral do Zimbabwe (ZEC).

"Estes números foram inventados e podemos prová-lo", declarou um responsável da oposição que falava sob anonimato.

A Lei Eleitoral zimbabweana prevê uma segunda volta se nenhum candidato conseguir obter mais de 50 por cento dos sufrágios validamente expressos.

Se confirmada, esta será a primeira derrota do Presidente Mugabe desde a sua ascensão ao poder há 28 anos, e os observadores prevêem a sua derrota na segunda volta.

O opositor Morgan Tsvangirai que contestou estes resultados ameaça boicotar a segunda volta, numa decisão que, a acontecer, permitirá que o Presidente cessante Robert Mugabe seja declarado vencedor.

Neste processo de verificação, os candidatos comparam os seus números com os da ZEC, o que lhes permitirá reclamar contra possíveis divergências antes da publicação final dos resultados.

Fonte: PANA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: