Com dois golos de cabeça, na sequência de cruzamentos do também angolano Gilberto, o avançado deu, pela quarta vez, a supertaça à formação egípcia.

Flávio foi inevitável, depois de ter sido determinante na conquista da Liga dos Campeões Africanos do último ano. O atacante dos Palancas Negras abriu o marcador aos 47 minutos, vendo depois o marfinense Blaise Kouassi igualar a contenda.

Não satisfeito, o antigo jogador do Petro de Luanda, duas vezes melhor marcador do Girabola, voltou a aproximar-se com perigo das redes adversárias em várias ocasiões e aos 70’ sentenciou o resultado final, após outro passe do compatriota Gilberto.

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: