Luanda -  Rogério Paulo de Oliveira, proprietário da discoteca Palo’s, foi condenado ontem em Luanda pelo Tribunal de Polícia, com uma pena de três meses de prisão, suspensa por um período de dois anos, pelo crime de injúrias contra Gizela Ebo, agente de trânsito.

O réu, para além da pena suspensa, foi ainda condenado a pagar uma taxa de justiça no valor de 57 mil kwanzas e vai também condenado a indemnizar a ofendida por danos morais com o valor monetário de 30 mil kwanzas.

O réu respondia por crime de ofensas morais e ofensas corporais, mas em Tribunal não ficou provado que o réu tivesse cometido o crime de ofensas corporais contra agente de trânsito Gizela Ebo.

O procurador do Ministério Público disse que o réu cometeu o crime devido à situação que estava a viver naquele momento, pois tinha dois pneus furados. Sendo uma atenuante, “isto não lhe dá o direito de ofender ninguém”.

A meritíssima juíza lamentou a situação, mas disse que foi bom o réu ter chegado ao Tribunal para perceber que ninguém é impune e ninguém está acima da Lei. Aconselhou o réu a pensar bem antes de agir como ficou provado que agiu e levou o Tribunal a condená-lo, com pena suspensa.

Fonte: Jornal de Angola



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: