Luanda  - Por volta das 9h30, do dia 15 de Setembro 2017, na Sala de Reuniões do Secretariado Municipal de Saurimo, a UNITA, sob minha orientação, na qualidade de Secretario Provincial na Lunda Sul, à luz das recentes eleições gerais, presidi a uma palestra de actualização política dirigida aos militantes do Partido. Até às 11H00, quando terminou a palestra, tudo estava a decorrer normalmente.

 
Fonte: Club-k.net
 
Para espanto de todos, quando os participantes estavam a abandonar a Sala de Reuniões de regresso às suas casas, apercebi-me que tinha perdido uma chamada telefónica do Director Provincial da Ordem Pública da Polícia Nacional, Sr. Superintendente Chinha. Quando liguei para ele, disse-me que a chamada dele tinha sido para saber do movimento dos militantes que saiam da Sala e que ele estava a achar estranho!
 
  Respondi-lhe que não havia nada de estranho; as pessoas estavam a abandonar as instalações do Secretariado, uma vez que a reunião já tinha acabado.
 
 
Mal tinha acabado de falar com o Superintendente Chinha, apercebi-me da existência de um alvoroço fora da sala, com gritos e sinais de uma grande algazarra. Quando procurei saber o que é que se estava a passar, disseram- me que o Director da Ordem Pública – ele próprio! – estava a agredir com o cassetete militantes da UNITA que saiam da Sala para as suas casas. Segundo ele, essas pessoas tinham estado reunidas para se organizarem para uma eventual manifestação, o que era totalmente falso.
 
 
Como se não bastasse e quando menos esperávamos, o mesmo Director Chinha afinal tinha ligado à Polícia de Intervenção Rápida (PIR) que prontamente apareceu com todo o seu aparato militar e se pôs a bater de modo desmesurado os militantes da UNITA. Os agentes dessa unidade dirigiram-se então a mim que levei vários porretes.
 
 
Nisso, surgiu o 2o Comandante Municipal da Polícia de nome Songo que, ao se aperceber de toda aquela selvajaria, procurou proteger-me levando também alguns porretes por tabela. Os agentes da PIR passaram à fase seguinte que foi atirar-nos com gás lacrimogéneo que tanto me atingiu a mim, como alvo principal da operação, como atingiu ao 2o Comandante Songo, pois ele estava a tentar proteger-me a todo o custo.
 
 
Depois, os agentes da PIR invadiram a Sala de Reuniões do Secretariado Municipal do Partido onde estávamos e levaram consigo 8 militantes que aí se encontravam. 4 deles foram soltos na hora e os outros 4 foram levados para a Esquadra, de onde foram soltos também mais tarde.
 
 
No meio de tanta algazarra aí criada, ouviram-se disparos de 3 tiros no local que felizmente não atingiram ninguém. Verificou-se então que o autor de toda essa arruaça, o Director da Ordem Pública Superintendente Chinha estava em estado de embriaguez.
 
 
Pouco depois, chegou o Comandante Provincial da Polícia, Comissário Abel, que conseguiu acalmar a situação. Realizou-se então um encontro de carácter urgente, para tratar deste assunto. Essa reunião concluiu que o sr Chinha tinha sido o autor e culpado de toda a desordem pública que se tinha verificado nas instalações do Secretariado Municipal da UNITA em Saurimo.
 
 
O 2o Cmdte Municipal foi testemunha da maior parte desta infeliz ocorrência e, em reunião, teve a coragem de afirmar ao seu superior hierárquico, que o seu colega, foi o autor de tudo.
 
 
O Secretariado Provincial da UNITA na Lunda Sul repudia e condena a todos títulos está atitude que mancha a imagem da corporação cuja missão é justamente a de manter a ordem pública e não a de criar tumultos, invadindo propriedade alheia. De resto, o direito de manifestação está constitucionalmente consagrado e, se os militantes da UNITA estivessem a preparar uma manifestação estariam a usufruir desse direito, pelo que não haveria razão nenhuma para serem alvo de insultos, pancadaria ou outras sevícias, como se fossem perigosos assaltantes apanhados em fragrante e que estivessem a resistir pela força à reposição da ordem.
 
 
A UNITA entende que num estado de direito a Polícia deve subordinar-se à lei e não pode abusar do seu poder. Ontem como hoje, a UNITA vai continuar a trabalhar pela justiça e pela democracia. A Polícia deve por isso ser apartidária e comportar-se de modo republicano.
 
Virgílio Samussongo, Secretário Provincial da UNITA na Lunda Sul

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: