Luanda - Em causa está um caso de alegada corrupção num processo de venda de armamento que terá ocorrido há vinte anos.

Fonte: Lusa

O julgamento do caso de corrupção que envolve o ex-presidente sul-africano Jacob Zuma, num processo de compra de material de guerra, foi adiado para o dia 8 de junho.

 

Zuma compareceu, esta sexta-feira, no Tribunal de Durban para responder sobre o caso de alegada corrupção num processo de venda de armamento que terá ocorrido há vinte anos.

 

O ex-presidente, 75 anos, preparava-se para prestar declarações na primeira sessão do julgamento que vai decorrer na capital da província de Kwazulu Natal, mas o juiz Themba Sishi decidiu adiar o início do julgamento para o próximo dia 8 de junho.

 

Na altura dos factos, em 1999, Zuma ocupava o cargo de governador tendo depois assumido a vice-presidência da África do Sul.

 

Na sequência deste caso, Jacob Zuma resignou, já este ano, à Presidência sul-africana

 

Neste caso, Jacob Zuma é acusado de ter beneficiado com os contratos de armamento estabelecidos com o grupo francês Thales e que ascenderam a quatro mil milhões de euros.

 

Na sequência deste caso, Jacob Zuma resignou, já este ano, à Presidência sul-africana após uma decisão nesse sentido aprovada pelo Congresso Nacional Africano (ANC, de que também deixou de ser líder), tendo os dois lugares ficado nas mãos de Cyril Ramaphosa.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: