Lisboa - Segundo informações chegadas ao Club-k, o director adjunto da Kwanda Lda, Alberto Mário  é tido como o “epicentro” de atritos tribais existentes na empresa que dirige.

“Cortar os benefícios aos trabalhadores oriundos de Luanda”

O relato acrescenta que o  Dr. Alberto  induz aos trabalhadores a percepção de que a Kwanda.Lda (Filial Sonangol) como uma pertença dos “Mussurungo” povos nativos do Soyo”.

O objectivo destes pronunciamentos discriminatórios e detractores segundo um dos informantes do Club-k em anonimato, o Kwanda Lda. tende excluir todos os trabalhadores vindo de outras paragens de Angola, na sua maioria Técnicos Superiores de Luanda. Como resultado estes aventam a hipótese de levar o caso nas barras do tribunal.

 Alberto , “tentou sem êxito cortar os benefícios e o sistema de descanso dos trabalhadores oriundos de Luanda, na qual alegara que “cumpria orientações superiores vindas da Sonangol com o objectivo de uma melhor gestão dos fundos da empresa”. Os lesados averiguaram que tal pretexto não corresponde com a realidade dos factos. “Esta justificação já foi desmentida por um alto funcionário do Conselho de Ministro, por nós contactado, e que prometeu levar o caso mais alem, em defesa do bom nome da Sonangol e do governo Angolano”, confidenciou enquanto desabafava o nosso entrevistado.

É oportuno salientar que director adjunto da Kwanda.Lda é também o presidente da Académica do Soyo, que neste momento encontra-se na segunda posição do gira Bola Nacional.

* Rosario Neto
Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: