Kinshasa - As autoridades congolesas vão enviar um avião à Bruxelas, a fim de repatriar para Kinshasa, os restos mortais do presidente da União para a Democracia e o Progresso Social (UDPS), Etienne Tshisekedi.

Fonte: Angop

Etienne Tshisekedi morreu em Bruxelas, a 01 de Fevereiro de 2017, e os seus restos mortais continuam retidos na Bélgica, por causa dos desentendimentos entre o Governo, a sua formação política e a família, sobre as modalidades do seu enterro.

 

Para debelar a crise, o governo, a UDPS e a família do defunto criaram a 21 de Abril, uma comissão que vai organizar o seu funeral, na República Democrática do Congo (RDC).

 

Assim, foi criada uma comissão especial de nove pessoas oriunda das três partes envolvidas, encarregue de organizar o funeral. A mesma é presidida pelo ministro do Interior, Henri Mova Sakani.

 

No entanto, ainda não se avançou qualquer data para o funeral.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: