Luanda - A Associação Mãos Livres pretende realizar ainda este mês uma marcha de protesto com mais de 25 mil pessoas, em protesto contra as demolições.

 Demolições que atiraram na rua da amargura
cerca de 15 mil munícipes

A intenção é mostrar ao governo que a população tem direito à habitação, anunciou, falando hoje na Rádio Ecclesia, o presidente da ONG, o advogado David Mendes.

Segundo o activista, o projecto que reage directamente às demolições que atiraram na rua da amargura cerca de 15 mil munícipes na semana passada em Luanda, começou com uma meta de 15 mil manifestantes.

«Desta vez queremos pôr mais de 25 mil pessoas na rua. O governo tem que compreender que não pode estar a criar um país só para os estrangeiros, um país só para os que têm milhões», afirmou David Mendes.

Pois, reforçou, «a maioria de nós não tem milhões, a maioria de nós vive como vive. E se a população vive em casebres, como eles dizem, é responsabilidade do governo que não é capaz se quer de dar uma salário mínimo nacional que satisfaça as pessoas, para que as pessoas possam comprar as casas que custam um milhão de dólares»

Fonte: Apostolado



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: