Lisboa - A abstenção de  Tchizé  dos Santos dos mega negócios (Bancos, petróleos, diamantes e etc) é, em parte, associada a uma medida de prevenção  reflectida em  exemplos  retidos da historia, muito deles relacionados ao destino de personalidades que estão na sua condição de filha de Estadista.

Recusa propostas de parcerias empresárias

No seu circulo intimo, não lhe é notada incentivo “agudo”, nas expressões que incentivam  a “aproveitar”  enquanto o seu pai esta no poder. Recusa aproximação de empresários que a desejam usa como lobbi junto ao poder em troca de participações. Chegou a dada altura a negar uma “boa” proposta de cooperação empresarial que investidores  teriam feito a ela por via de uma amiga muito próxima tendo deixado a entender que  a sua não adesão obedecia a conselhos do circulo familiar (do lado materno).

De acordo com leituras decorrentes a sua inserção no mercado dos negócios, a jovem empresaria opta por negócios mais “lights” e  transparentes do ponto de vista do “conhecimento geral do povo” e igualmente negócios  que ficam isentos de sentimentos de revolta do publico. Esteve ligada como sócia, a um banco, o Banco de Negócios Internacionais (BNI) acabando por se livrar deste vendendo as suas acções de 13 por cento. (insistentes rumores não confirmados  insinuavam  que saiu  do BNI em  retaliação a  administração por não ter atendido um suposto pedido seu que determinava a criação de uma vice presidência para um irmão seu, Tito Mendonça “Tilucho”, funcionário do BDA).

Nos negócios “lights” que opta centra-se no ramo da comunicação social (Revista, assessoria de televisão e etc). É movida com o sentido de desenvolver trabalho que causa visibilidade acompanhada de comentários positivos. A forma reprovável como o Ministro Rabelais a colocou  na TPA é ao mesmo tempo acompanhada com comentários que aludem certa revolução/modernização  em termos de imagem/apresentação do canal 2 da estatal angolana.

Nos últimos tempos viu a sua popularidade baixar por efeito de uma intimidação judicial procedida contra a classe de jornalistas através da líder sindical, Luisa Rogério. Alguns, analistas porem, haviam sugerido que os excessos deveu a ausência de um conselheiro de marketing da sua imagem.

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: