Libreville - Ali Bongo (topo), candidato do governante Partido Democrático Gabonês (PDG) e primogênito de Omar Bongo, o presidente falecido em junho, foi proclamado hoje vencedor das eleições presidenciais do Gabão com 41,73% dos votos, informaram emissoras regionais captadas em Dacar.


Fonte: EFE

População manifesta os resultados

Ex-ministro da Defesa e vice-presidente do PDG durante a gestão do pai, que governou o Gabão durante 42 anos até morrer de câncer, 8 de junho, Ali Bongo era o favorito para este pleito e os outros candidatos tinham denunciado que se pretendia uma "sucessão dinástica".


Depois de Ali Bongo, segundo os dados da Comissão Eleitoral divulgados pelo Ministério do Interior na televisão pública, ficou André Mba Obame, ex-ministro do Interior e candidato independente, com 25,88% dos votos.


O terceiro foi, segundo a mesma fonte, Pierre Mamboundou, da Aliança para a Mudança e a Restauração (ACR), com 25,22% dos votos.


Imediatamente após divulgar os resultados, ocorreram protestos em pelo menos dois bairros populares de Libreville, onde a Polícia dispersou os manifestantes contrários a Ali Bongo.


Também houve uma manifestação em Port Gentil e, segundo as emissoras regionais, os participantes do protesto atacaram a prisão local e libertaram um número indeterminado de presos.


Desde terça-feira, as forças de segurança e militares do Gabão tinham reforçado sua presença nas ruas de Libreville, diante da possibilidade de protestos e distúrbios após a divulgação dos resultados das presidenciais.


A oposição, que denunciou de antemão a probabilidade de uma fraude eleitoral a favor de Ali Bongo, exigiu - mas sem resultados - o adiamento das eleições.


Os observadores da União Africana indicaram na terça-feira passada que tinham ocorrido "irregularidades" no pleito, mas não colocaram em dúvida a legitimidade e disseram que foram feitas "conforme a lei".



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: