Lisboa – O ex-ministro das Finanças de Angola (de 2013 a 2016), Armando Manuel, foi recentemente indicado para assumir interinamente as funções de Director Executivo da Constituência de Angola, Nigéria e África do Sul, junto do Banco Mundial, até que se nomeie um novo director, para preencher a vaga deixada pelo nigeriano Haruna Mohammed que morreu vítima de doença, no passado dia 02 deste mês (Fevereiro).

Fonte: Club-k.net

Até meados de 2018, Armando Manuel estava a trabalhar como perito em Gestão de Finanças Públicas do Fundo Monetário Internacional (FMI). Em Novembro de 2018, mudou-se para o Banco Mundial ocupado o cargo de director executivo suplente. A sua transferência, para esta instituição é, segundo soube o Club-K, associada a recomendações movidas por sectores próximos a antiga directora angolana neste organismo, Ana Dias Lourenço que identifica nele qualidades profissionais para estar ao serviço de organizações de “Bretton Woods”.

 

A Constituência de Angola, Nigéria e África do Sul, junto do Banco Mundial tem a sua presidência em sistema de rotatividade. Depois da saída da antiga directora angolana Ana Dias Lourenço, em 2016, o cargo de directora executivo foi exercido pela sul africana, Patience Kunene, que depois foi substituída pelo malogrado nigeriano Haruna Mohammed.

 

O angolano Armando Manuel deverá interinar as funções de director executivo até que a Nigéria indique um cidadão seu, para completar o mandato interrompendo com a perda de Mohammed.

 

Contudo, será no período de 2020/2022, que a presidência da Constituência de Angola, Nigéria e África do Sul, junto do Banco Mundial voltará a ser ocupada por Angola. Armando Manuel, agora director-executivo suplente passará a ser o titular efectivo como director-executivo, a partir de Outubro de 2020.

Na Constituência de Angola, Nigéria e África do Sul, junto do Banco Mundial, esta também um outro economista angolano, Mário Augusto Caetano João, exercendo as funções de assessor.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: