Lisboa - A Direção Nacional de Investigação e Ação Penal (DNIAP) constituiu como arguido, o Presidente do Conselho de Administração (PCA) do Banco Comercio e Industria (BCI), Filomeno da Costa Alegre Alves de Ceita, no âmbito das investigações a volta do extinto Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing da Administração (GRECIMA), então liderado por Manuel António Rabelais.

Fonte: Club-k.net

Filomeno Ceita constituído arguido

De acordo com documento da PGR, em posse do Club-K, foi também constituído como arguido deste processo numero 68/2018, um outro funcionário BCI, identificado, apenas por “gestor de contas do GRECIMA”, domiciliada naquele banco e com o numero 38448376/10/001.

 

Ambos (PCA e gestor de conta do GRECIMA) foram recentemente solicitados a comparecer neste órgão afecto a PGR, na Vila Alice, em Luanda, no próximo dia 27 e 28 de Fevereiro, para interrogatório, nos termos do artigo 85 do código de processo penal. No processo crime, em causa, é participante o Ministério Publico e lesado o Estado angolano.

 

O GRECIMA, operava na esfera da Presidência da República tendo como missão fazer gestão da imagem do governo liderado por José Eduardo dos Santos. Este órgão desmantelado pelo Presidente João Lourenço logo após a sua tomada de posse, em 2017, tinha como subcontratada a Semba Comunicação, empresa ligada aos filhos do antigo Presidente, na qual prestavam serviços jornalistas da TPA e vários analistas agenciados para defender a imagem do governo.

 

Desde o ano passado, que a PGR tem investigado alegados vestígios da gestão menos boa deste órgão que levou a interdição de saída do país, do seu então director Manuel Rabelais e implicando também o ex-coordenador e director da Semba, Sérgio Valentim Neto.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: