Lisboa - Uma nova empresa de táxi em Luanda, Transcoop, que alargou a sua aquisição de viaturas, está a ser conotada aos interesses empresariais de Jorge Gaudens Pontes Sebastião, igualmente conhecido como testa de ferro de José Filomeno dos Santos. Por conseguinte, a UNITA na voz do deputado a Assembleia Nacional, Nelito Ekuikui lançou esta semana um repto as autoridades no sentido de ver esclarecido a origem dos fundos para o referido projecto.

Fonte: Club-k.net

Deputado da UNITA pede investigação

O seu repto, é baseado no facto de haver documentação apontando a coincidência de a Transcoop, fundada a  8 de Julho de 2011, partilhar a mesma estrutura acionista com a empresa “Mais Finance Service”, que fora usada, há dois anos, para o desvio de 500 milhões de dólares americanos do BNA, transferidos para Londres.

 


Tanto a “Transcoop” como a “Mais Finance Service” tem como acionistas formais um grupo de jovens “testas de ferros”, nomeadamente: Agostinho Soares Gama, Anselmo Eduardo Salvador, Adelino Ernesto Quibuco, Filipe Albino Gomes e João Manuel Ginga que trabalham para Jorge Gaudens Pontes Sebastião, conhecido sócio de José Filomeno dos Santos.

 


O director-geral da Transcoop é Universindo Moniz Gonçalves. Um outro gestor é Anselmo Eduardo Salvador, que também está como declarante no processo crime sobre a burla dos 500 milhões ao BNA, por ser empregado das empresas de  Jorge Pontes Sebastião.


“Por haver estas ligações todas, por isso mesmo é que pedimos a Procuradoria Geral da República que esclareça até que ponto verbas desviadas do BNA ou do Fundo Soberano de Angola poderão ter sido usada para expansão deste negócio de táxis”, rematou o deputado prometendo que o seu partido vai continuar a fiscalizar e ajudar a trazer pistas que indiciam o uso de fundos públicos para favorecer negócios das elites do MPLA.

 

 

 

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: